Insuperável Bush

Amigos e amigas:

Limpar a mão após cumprimentar alguém é mais que gafe. É agressão mesmo, desprezo pelo outro. A diplomacia ianque anda mal das pernas (e do resto) para confiar qualquer coisa a Bush – eu não o convidaria sequer para uma reunião de condomínio. De quebra, usar a camisa alheia como toalha é o que há – enfim, os ricos jogadores de golf, em “O grande Gatsby”, trapaceavam feio, os ricos criavam – no mesmo romance – o cenário para os rivais serem assassinados por outrem…

Ainda bem que os EEUU geraram Melville, Faulkner, o jazz, os filmes musicais etc.

Abraços a todos e todas:

Nasci em Natal (1950). Vivo em São Paulo desde 1970. Estudei História e Artes Visuais. Escrevo sobre História (Imprensa, Artes Visuais, Cinema Literatura, Ensino). Traduzo poemas e letras de canções (do inglês e do francês). Publiquei lvros pelas editoras Brasiliense, Marco Zero, Papirus, Paz e Terra, Perspectiva, EDUFRN e EDUFRJ. Canto música popular. Nado e malho [ Ver todos os artigos ]

ao topo