Interrogações sem ponto(?)

estrada sem fim

Respirar, viver, lutar, dormir e acordar, quem sabe, de repente, apenas silenciar. E depois do silêncio?

E depois?………

Será que tudo valeu? E se valeu, valerá?

Chegar, partir, querer, amar, sorrir, sonhar, seguir, voltar, desistir, odiar. E depois?
Quando o silêncio for a única canção, quando nada for o abrigo que restar, valeu, ser e ter tudo e não lembrar?

As interrogações serão sempre pontos, traços e finais.

Comments

There is 1 comment for this article
  1. Larissa 3 de Outubro de 2012 15:51

    Adorei sua poesia.
    Porque a VIDA se faz uso de interrogações e pontos.
    Sem interrogações não haverá futuro.
    Sem pontos não há mudança.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Go to TOP