Isaura Rosado descarta permanência na Secretaria de Cultura

A professora Isaura Rosado não só descarta a possibilidade de permanência no cargo de secretária extraordinária de cultura, como deseja abandonar a vida pública. A informação foi passada pela própria a uma fonte próxima, a quem confio. Desse modo, o posto fica livre à indicação do PT.

Difícil dizer se Isaura deixará saudade. Confesso minha dificuldade em opinar sobre gestões no executivo, mesmo na área cultural em que milito. Há muita negociata nas realizações e desserviços promovidos, imbróglios insolúveis para qualquer gestor e dificuldades alheias à vontade ou às ideias.

A comparação entre gestores poderia valer. Mas há também um componente fundamental: o apoio governamental. François Silvestre teve ideias, recebeu apoio de Wilma e entregou obras incontestáveis já escancaradas aqui. Um governo elogiado, lembrado e com marcas até hoje usufruidas.

Crispiniano teve o mérito da política de editais e, tal qual Isaura, penso, penou pela falta desse apoio. Mas e o poder de barganha e convencimento junto ao governo? E a falta de projetos concretos para apresentar ao executivo estadual ou federal interfere? Ou a criatividade para driblar burocracias e a escassez financeira?

É análise para quem vive o dia-a-dia da gestão. Mas vamos aos fatos: o Agosto da Alegria se mostrou de início o carro-chefe da cultura estadual; um projeto com potencial para elevar o rico folclore potiguar unido à atração turística, mas que decaiu já no terceiro ano até sucumbir por completo. Virou pó.

Nenhum projeto cultural novo foi criado (ou contemos o recente Quintas Clássicas, com concertos mensais da OSRN). Nem houve o resgate dos bons e antigos. Ao invés, assistimos à derrocada do decano Seis e Meia e do Agosto de Teatro. E uma Revista Preá sem regularidade, sem fisionomia definida após alternâncias editoriais.

Até se tentou, se estudou, mas a Lei Câmara Cascudo – apesar do aumento de 2 milhões na renúncia – se manteve e se mantém ultrapassada. Houve, no início da gestão, um plano de visitas e convencimentos junto à iniciativa privada, mas tentar sensibilizar empresários a investir na cultura, mas nada aconteceu.

Apesar da assinatura de adesão ao Sistema Nacional de Cultura, o RN permanece fora. A criação da secretaria ainda extraordinária de Cultura, tal qual o Fundo Estadual de Cultura, foram avanços que pouco avançaram. Faltou o Conselho Estadual de Cultura paritário e, principalmente, o Plano Estadual de Cultura.

Por outro lado, vimos uma Pinacoteca com acervo renovado e boas edições do Salão de Arte Chico Santeiro. No quesito publicações, uma razoável política de editoração de livros e, já neste ano, o Prêmio Literário Rota Batida – exemplo claro de ação criativa promovida por parcerias.

Mas com certeza o maior legado à cultura do Estado foram as obras de infraestrutura. A Cidade da Criança é a mais lembrada e recente, mas a entrega dos teatros de Assu, Caicó e Mossoró, entre construções e reformas, são obras importantíssimas deixadas pela atual gestão. Falta a Biblioteca Câmara Cascudo.

Outro legado tão importante quanto: a implantação de 75 bandas de música no interior do Estado, via programa RN Sustentável. O RN é pródigo na revelação de instrumentistas e possui tradição na formação de músicos por meio dessa cultura de bandas e filarmônicas de música.

E é isso que me vem à lembrança nesse primeiro momento. Como disse, é análise de quem está de fora. Gostaria de receber um balanço da gestão da secretária. É uma sugestão que deixo, para publicizar suas ações e as dificuldades enfrentadas para relatar, a exemplo do Agosto da Alegria, o que poderia ter sido e não foi.

Acredito que música, literatura e esporte são ansiolíticos dos mais eficazes; que está na ralé, nos esquisitos e incompletos a faceta mais interessante da humanidade. [ Ver todos os artigos ]

Comments

There is 1 comment for this article
  1. Anchieta Rolim 29 de Outubro de 2014 3:38

    oSó espero que o próximo que assumir o cargo faça por merece-lo. Já estou de saco cheio de pagar por serviços incompletos. Seja feliz e passar bem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Go to TOP