Islã – Artes e civilização

A atual exposição no Centro Cultural Banco do Brasil de São Paulo sobre Artes e Civilizações do Islã é puro arrasa-quarteirão. Diferentes saberes e sensibilidades das tradições islâmicas aparecem, a partir de acervos de museus de Irã, Síria e outros países que pertenceram aos mundos árabe e, depois, otomano – na divulgação, falam em Líbano, senti falta de mais Turquia.

A exposição deslumbra pelo requinte das artes (tapeçaria, mobiliário, armas, jóias, roupas, impressão de livros – exemplares do Alcorão que nem dá pra acreditar -, objetos utilitários em cerâmica e metais, azulejos, caligrafia…), pela ousadia das ciências (matemática, astronomia), pela visão de um Islã que é saberes e mais saberes. Tem mais um som ambiente da melhor qualidade.

A mostra ajuda muito a acabar com uma imagem banal que a Imprensa ocidental transmite dos países com tradição islâmica como neo-barbárie – na exposição, são civilizações brilhantes!

Recomendo enfaticamente a todos. Vale até uma viagem a Sampa só para ver o que é que o Islã tem. E depois, um mergulho nas internets da vida ou, se o dinheiro der, um pulo em Síria, Irã, Líbano, Turquia… Melhor ficar endividado com uma viagem dessas que com um carro zero.

Esqueci de enfatizar: tem uns tecidos do Islã africano que são de arrasar.

A Revolta dos Malês, na Bahia, foi incluída na linha do tempo do Islã, uau! Pra nós vermos o que é que a Bahia tem!
E a exposição inclui recursos virtuais para uma visita à Mesquita Azul de Istambul e a outras jóias da arquitetura islâmica. Lamentei não incluírem a Basílica (depois Mesquita, hoje Museu) Santa Sofia, reforçaria laços e mais laços.
Uns versículos do Alcorão, traduzidos, ajudam a pensar mais sobre as ligações entre Judaísmo, Cristianismo e Islamismo, apesar de tanta guerra.

Precisamos conhecer mais esses povos!

*********

Do editor:

Horários da exposição: aqui

Nasci em Natal (1950). Vivo em São Paulo desde 1970. Estudei História e Artes Visuais. Escrevo sobre História (Imprensa, Artes Visuais, Cinema Literatura, Ensino). Traduzo poemas e letras de canções (do inglês e do francês). Publiquei lvros pelas editoras Brasiliense, Marco Zero, Papirus, Paz e Terra, Perspectiva, EDUFRN e EDUFRJ. Canto música popular. Nado e malho [ Ver todos os artigos ]

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × 5 =

ao topo