Ismália (Alphonsus de Guimarães 1916)

Por Sebastiao Lopes dos Santos

Quando Ismália enlouqueceu Pós -se na torre a sonhar… Viu uma lua no céu, Viu outra lua no mar.

No sonho em que se perdeu, Banhou -se toda em luar… Queria subir ao céu, Queria descer do mar…

E no desvario seu, Na torre pôs se a cantar… Estava perto do céu, Estava longe do mar..

E como um anjo pendeu As asas para voar…. Queria a lua do céu, Queria a lua do mar…

As asas que Deus lhe deu Ruflaram de par em par… Sua alma subiu ao céu, Seu corpo desceu ao mar…

Comentários

Há 2 comentários para esta postagem
  1. João da Mata 7 de junho de 2010 8:35

    Esse belíssimo poema de Alphonsus de Gumarães é , se não me engano, de 1902.

    Um dos mais belos poemas do autor e da poesia brasileira.

  2. Tânia Costa 6 de junho de 2010 22:32

    A loucura em sua forma poética, maravilhoso!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo