Janúncio Bezerra de Melo

Janúncio Bezerra de Melo (Juba)- Um seridoense de verdade

Grande Juba. Uma lição de vida. Grande amigo meu e do Departamento de Física da UFRN, onde ele foi professor. No vestibular de 1974, foi o primeiro lugar em medicina e o primeiro na classificação geral. Mudou para o curso de Física devido ao acidente que lhe deixou na condição de paralítico, após um mergulho em um açude, na sua cidade de Caicó (RN) em 1963.

Sertanejo legítimo da família Bezerra de Melo, possuia a inteligência e sagacidade do povo seridoense. Persistente e estudioso, estava concluindo o doutorado em Campina Grande, em meteorologia. Tinha trabalhos sobre as secas históricas no nordeste brasileiro e fez mestrado no INPE, São José dos Campos (SP). Nesse período teve a ajuda inestimável de muitos colegas, particularmente do prof Rui Tertuliano, ex-chefe do Departamento de Física da UFRN.

Um prosador como já não existe mais. Conversava sobre todos os assuntos e tinha um conhecimento profundo das coisas e personagens do sertão. Gostava de escrever sobre os “causos” do sertão do nunca mais. Deixou muitos escritos e livros inéditos. Cheguei a ler alguns desses contos e histórias nas muitas idas ao seridó, quando ia trabalhar na estação sismográfica de Caicó. A estação ficava na fazenda dos seus familiares, num terreno gentilmente doado a UFRN para abrigar a estação sismográfica.

Durante toda a operação de transferência da estação de Natal para Caicó, manutenção e operação diária da estação, o prof Janúncio teve um papel decisivo. Chico foi o operador da estação e uma pessoa fundamental na vida de Juba. Durante muitos anos foi seu secretário e o transportava para todos os lugares. Conversei com Chico durante a ultima CIENTEC e falamos bastante do amigo comum – Juba. Estávamos preocupados com a sua situação financeira e de saúde. Muitas vezes estive na casa de seus familiares, quando ia fazer a manutenção de estação sismográfica.

Tive o prazer de conhecer seus pais e manos. A estação fazia parte de uma rede mundial de sismógrafos padronizados. Hoje está desativada e encontra-se do Departamento de Física da UFRN. A ultima vez mais demorada que estive com o amigo Janúncio foi como diretor da ADURN, numa reunião do sindicato no Ceres, e uma festa dos professores na APUC. Conversamos bastante, tiramos muitas fotos e ouvimos muitos discursos no velho estilo seridoense. Como seridoense de nascimento e sangue fiquei muito emocionado.

Como físicos, observávamos as interferências das plácidas ondas no belo açude do ITANS. Foi uma bela reunião e a minha despedida do grande e saudoso amigo Janúncio. Um grande professor da UFRN, e uma grande figura humana que tive o prazer de privar da amizade durante tantos e tantos anos. Descansa em paz meu irmão, sabendo que deixastes muitos amigos e um exemplo de vida que honra a família seridoense e a garra dos que não se sujeitam com as adversidades da vida.

Meus sentimentos e saudades,

Físico, poeta e professor [ Ver todos os artigos ]

Comentários

Há 2 comentários para esta postagem
  1. João da Mata 12 de maio de 2010 16:31

    François,

    Sim, ele gostava de um chopp e tomamos algumas.

    Ficou em coma, sim. Só nao lembro se no Hope.

    Lutou muito. Um grande caráter

  2. François Silvestre 12 de maio de 2010 16:01

    Lembro dele. Numa cadeira de rodas, tomando cerveja no Postinho. Se não falha a memória ele ficou em coma durante meses, no Hospital Hope. Ou estou confundindo com outra pessoa?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo