Jardim do Seridó é a próxima cidade a receber o projeto Câmara Clara

O projeto Câmara Clara – Cartografia do Afeto, que já passou pelas cidades de São Miguel do Gostoso, Goianinha, Macaíba e Serra Negra do Norte, passará por Jardim do Seridó entre os dias 11 e 15 de abril.

Todas as atividades desenvolvidas, uma exposição fotográfica, oficina de fotografia e intervenção urbana, são gratuitas e abertas para o público. A vernissage da exposição acontece às 16h do dia 11 (segunda-feira) na Casa de Cultura Popular de Serra Negra do Norte.

A exposição Cartografia do Afeto é composta por 30 fotografias, dos fotógrafos Paulo Fuga, Pedro Medeiros e Vanessa Trigueiro. Eles voltaram para as cidades do interior onde passaram grande parte da infância, (Mossoró, Areia Branca e Assu), tentando resgatar afetos, memórias, pessoas e lugares que fazem parte desse momento de suas vidas.

Em Jardim do Seridó a oficina de fotografia será ministrada por Vanessa Trigueiro e acontece entre os dias 12 e 14 de abril, das 13h às 17h. Para participar os interessados devem se inscrever pessoalmente na Casa de Cultura, ter 16 anos ou mais e possuir algum aparelho eletrônico com câmera.

Dentro do projeto temos a elaboração de um documentário, assinado por Johann Jean (Som do Morro, Três vezes Maria e O Tempo Feliz que Passou) mostra como foi a volta dessas pessoas e a busca pelas imagens que estão na exposição, mostrando a influência desses lugares no olhar de cada um, além de capturar o processo de circulação do projeto, oficinas e intervenções que acontecem em 15 cidades do interior. O resultado final, junto com um catálogo que contem várias informações sobre o projeto, será apresentado na cidade do Natal, na finalização do Cartografia do Afeto, durante a vernissage da última exposição que está previsto para acontecer em outubro deste ano.

O projeto Câmara Clara – Cartografia do Afeto recebe o patrocínio da Cosern – Grupo Neonergia, através da Lei Câmara Cascudo do Governo do Estado. No interior as atividades acontecem nas Casas de Cultura de cada cidade.

Além de Jardim do Seridó e as cidades que o projeto já passou, ainda passaremos por Florânia, Santa Cruz, São José do Campestre, Campo Grande, Lajes, Mossoró, Grossos, Assu, Apodi, Martins, até julho de 2016.

A oficina oferecida pelo projeto busca, através da realização de vivências, trazer os alunos para perto do universo vivido pelos facilitadores. Para cada cidade, que recebe o projeto, estão sendo ofertadas 15 vagas para os moradores que possuam algum aparelho fotográfico e sintam interesse na fotografia. A oficina é gratuita, qualquer pessoa com idade a partir de 16 anos pode participar.

Ao final de cada oficina é realizada uma intervenção urbana com o material produzido pelos alunos, em cada cidade o facilitador escolhe três fotografias, depois, em uma votação que acontece na Fan Page do Facebook do projeto, a imagem com mais curtidas entra para a exposição final que acontece no mês de outubro em Natal, e no catálogo do projeto.

“A ideia do projeto Câmara Clara é centrada na fotografia, mas tentamos transformar-ló em algo maior, envolvido com várias outras linguagens e funcionalidade. Voltado para o humano e os seus lugares e histórias, o Cartografia do Afeto é nossa primeira edição, no entanto já pensamos em mais outras, sempre juntando audiovisual, fotografia, poesia e sociedade em algo maior”, explica Flávio Rodriguez, diretor de produção e idealizador do Câmara Clara.

INFORMAÇÕES
www.projetocamaraclara.com.br
Fan Page do Facebook | Instagram
contatocamaraclara@gmail.com
84 9 9651 0156
Assessoria de Comunicação – Paulo Fuga

A EXPOSIÇÃO
Cartografia do Afeto

Cartografia do Afeto é uma exposição fotografia construída através do retorno de três fotógrafos residentes em Natal para as suas cidades de origem. Paulo Fuga (Mossoró), Pedro Medeiros (Areia Branca) e Vanessa Trigueiro (Assu), voltaram para as cidades onde cresceram e tentaram, através da fotografia, falar sobre ausência, memórias e afetos. A exposição, que irá circular por 15 cidades do interior e Natal, é composta por 30 imagens que falam sobre esse retorno e o que cada um sentiu nesse processo de investigação. Casas, estradas, rostos, ausência, poeira, mar, saudade, são alguns dos muitos elementos presentes nessa exposição que tem como afeto o ponto de partida.

OS FOTÓGRAFOS

Paulo Fuga – Mossoró

O fotógrafo e jornalista, Paulo Fuga, é natural da cidade de Mossoró, onde viveu grande parte da sua vida. Formado em jornalismo pela UFRN, Fuga mora em Natal, onde trabalha e estuda fotografia há cerca de 4 anos.

Já realizou e idealizou as exposições fotográficas “De Quando Conheci Você” (Salvador, BA | 2015) e “flores do mais – a poética do corpo no feminino”(Natal, RN | 2015), em 2016 lança mais uma exposição “falo – de quando o corpo é mais que um pedaço”.

O estudo da fotografia em Fuga vem sendo focado no corpo, buscando um encontro entre luz e corpos, construindo um mapa de sensações baseado no outro.

Pedro Medeiros – Areia Branca
Cineasta, fotógrafo e técnico de som direto, Pedro Medeiros é natural da cidade de Mossoró, mas viveu toda sua infância na cidade de Areia Branca, onde cresceu cercado de água e das fotografias do seu avó. Atualmente vive na grande Natal onde atua com cinema e fotografia. Há anos vem desenvolvendo uma linguagem artística no audiovisual e fotografia. Em 2015 dirigiu, fotografou e trabalhou o desenho de som do curta etnográfico “José Bezerra”.

A fotografia em Pedro chega através do seu avó, fotografo conhecido da cidade de Areia Branca, é uma busca pelo outro, registro dos pequenos acontecimentos, imagem das pessoas nos seus lugares.

Vanessa Trigueiro – Assú
Professora de fotografia no IFRN, mestranda em Estudos da Mídia (PPgEM), e graduada em jornalismo pela UFRN, Vanessa Paula é natural da cidade de Assu, onde reside grande parte das suas memórias da infância. Teve contato logo cedo com a fotografia através do seu pai, um fotografo amador que fazia questão de mostrar para a filha seus registros de viagens. Desde que entrou na faculdade de comunicação Vanessa vem desenvolvendo sua pesquisa no entorno da fotografia, participando de grupos de estudos da imagem, além de ser bolsista na Agência de Fotojornalismo Experimental (Fotec).

A fotografia de Vanessa fala da ausência. Em Assú, ela vistou os lugares favoritos do seu avô, tentando a todo instante retratar a presença dele, nos fazendo perceber a sua falta.

O CINEASTA

Johann Jean
Diretor de fotografia do curta-metragem Som do Morro, 2015 beneficiados pelo edital Curtas Universitários 2015, do Canal Futura e pelo edital de Economia Criativa 2015 do Sebrae/RN. Fez parte do grupo responsável pela dramaturgia e pesquisa de roteiro do curta metragem “Três vezes Maria” (vencedor do Edital Cine Natal 2013), além de ter trabalhado com assistente de fotografia. Assistente de Fotografia do longa metragem “O Tempo Feliz que Passou” rodado na Paraíba em 2013.

AS CIDADES

Agenda das Cidades

Jardim do Seridó
11 a 15 de abril

Florânia
18 a 22 de abril

Santa Cruz
25 a 29 de abril

São José do Campestre
2 a 6 de Maio

Campo Grande
9 a 13 de maio

Lajes
20 a 24 de junho

Mossoró
27 de junho a 01 de julho

Grossos
04 a 08 de julho

Assú
11 a 15 de julho

Apodi
18 a 22 de julho

Martins
25 a 29 de julho

Natal
Outubro/2016

FICHA TÉCNICA
Direção de Produção – Flávio Rodriguez
Produção Executiva – Weynna Dória
Coordenação Financeira e Contábil – Daniela Sá
Fotógrafos – Paulo Fuga, Pedro Medeiros e Vanessa Trigueiro
Facilitadores – Paulo Fuga, Pedro Medeiros, Vanessa Paula e Weynna Dória
Cineasta – Johann Jean
Identidade Visual e Designer – Beto Leite
Assessoria de Comunicação – Paulo Fuga
Exposição | Impressão e Montagem – Estúdio P

Acredito que música, literatura e esporte são ansiolíticos dos mais eficazes; que está na ralé, nos esquisitos e incompletos a faceta mais interessante da humanidade. [ View all posts ]

Comentários

Seja o primeiro a comentar este artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Vá para Topo