Jards Macalé no Dia do Samba

.

NO DIÁRIO DE NATAL

Prepare sua calça vermelha e casado de general para o show de Jards Macalé no Bar Zé Reiêra (ao lado do IFRN da Cidade Alta), nesta sexta-feira. É dia de samba e este ícone da contracultura pede passagem a partir das 19h30 e com participação do grupo de samba Nós do Beco. O ingresso é vendido a R$ 15, individual, e R$ 60 a mesa. Vendas no local ou pelo celular 9404-3456.

Comentários

Há 9 comentários para esta postagem
  1. Lívio Oliveira 4 de dezembro de 2011 6:52

    Tácito, fico muito grato pela atenção. Lamento pelas condições do show. Imaginei que seria um ponto alto, um acontecimento a ser gravado na tábua elevada da cultura potiguar em 2011. Mas, deixemos pra lá. O Jards já é um acontecimento por si só.

  2. Tácito Costa 3 de dezembro de 2011 22:03

    Lívio, eu assisti o show de bem pertinho. Quando percebi, mal começou, que a voz do cantor não chegaria sequer ao meio do espaço onde a apresentação ocorreu, eu fui lá pra frente do palco, no velho gargarejo. Além disso, o palco muito baixo atrapalhou. Macalé me pareceu meio lerdo, sem tesão, pouco interagiu com a platéia, que esperava muito do show. Fez um show morno e ficou devendo. Sérgio Vilar comenta mais detalhadamente a apresentação lá no Diário do Tempo: http://diariodotempo.com.br/
    As impressões dele coincidem com as minhas.

  3. Lívio Oliveira 3 de dezembro de 2011 16:15

    Alguém tem notícia de como foi o show?

  4. Jarbas Martins 2 de dezembro de 2011 13:03

    porque, amigo João, você não aprende a escrever besteira com Manuel Bandeira ? leia seu clássico “Mafuá do Malungo”.

  5. João da Mata 2 de dezembro de 2011 10:17

    Não é meu querido Jards Martins. Deliciosamente besta. Uma homenagem ao velho Maca. Hoje vou ao zé Reieira;

  6. Jarbas Martins 2 de dezembro de 2011 10:11

    Sabe de uma coisa, amigo João ? Este teu poema é deliciosamente besta, parece um daqueles poemas infames do “Mafuá do Malungo”, de Bandeira. O poeta pernambucano era grande. Até na arte de dizer besteiras.

  7. Jarbas Martins 2 de dezembro de 2011 9:38

    Que história é essa de me colocar aí no meio de Jards Macalé, amigo Lívio.Um novo apelido pra mim, amigo Lívio ? Jards Macalé Martins.Tou fora.Quem entende de Jards Macalé é meu amigo Horácio Oiliveira.

  8. Lívio Oliveira 2 de dezembro de 2011 7:59

    Esse show de Jarbas Macalé, digo, Jards, pode ser um dos grandes momentos artísticos deste ano semi-árido (tem hífen? Sei lá!) Pode ser uma breve redenção.
    Gostaria de assistir. Quem sabe…?Se eu não for, vou ficar com inveja. Vi um show do cara em BSB e o documentário sobre o mesmo. Tenho quase todos os discos. Sou um admirador, um fã marginal do poeta marginal.

  9. João da Mata 1 de dezembro de 2011 12:37

    CoMacalé

    Fico de Coma
    maca e lelé
    Coração
    ai macalé

    com voce eu
    vou viu até o
    sol reiar

    “coração ai
    coração” !

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo