Jasmim

Jasmim

Doce perfume, jasmim…
Uma saudade que ficou
Ou partiu de mim;
Suave memória
Que se esconde.
Nota suave…
Jasmim, segredo
Que só a noite traz
No seu perfume.
Pontinhos miúdos…
Pequenas estrelinhas,
Que ficam entre linhas
Como fadinhas brancas,
Perfumando os sonhos.
Exalam na noite notas musicais;
Lirismo que busco
No inconsciente, encanta…
Faz versos…
Viagem, reflexo…
Na noite fresca,
Deste quase inverno.
Jasmins, tão frágeis…
Parecem ter alma;
Me banham de olor;
Me trazem a calma,
Me inspiram estes versos…

Comments

There is 1 comment for this article
  1. Adryana Castañeda 8 de Julho de 2010 11:29

    Jazmin, poema de mucha sensibilidad; los sentimientos desarrollánse per si (“Suave memória que se esconde”, “Jasmim segredo, que só a noite traz no seu perfume”, “Me trazem a calma, me inspiram estes versos”).

    Muy gracioso. Un regalo a nosotros. Felicitaciones poeta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Go to TOP