Jean-Claude Carrière

Existem cada vez menos salas que projetam filmes de arte. O comércio triunfou?

Nos anos 80, parecia que o cinema de autor tinha perdido a guerra contra o comércio. Mas surgiram filmes excelentes vindos do Irã, da Coreia, da China. Eles nos socorreram. Hoje, são milhões de pessoas fazendo filmes. Câmera no ombro, celular, tudo. Mas como levar isso ao público? A tecnologia não supera o lado comercial do cinema. Em algum momento, é preciso formar um público. O cinema de arte sempre esteve a perigo. Cinema sempre foi comércio. Os irmãos Lumière eram comerciantes. Os americanos nem aceitam a ideia de que o cinema seja arte. Que o Ministério da Cultura se envolva, nem pensar. As soluções devem vir das novas formas de difusão e de produção. O que não funciona é tentar adaptar um sistema arcaico de produção a um sistema novo de difusão das ideias.

Leia AQUI a entrevista completa do romancista e cineasta francês Jean-Claude Carrière.

Go to TOP