Jorge Enrique Adoum

Jorge Enrique Adoum, o escritor que descreveu o seu país, o Equador, “como um país irreal limitado por si mesmo, cortado por uma linha imaginária”, morreu nesta sexta-feira, aos 83 anos, depois que problemas de saúde o mantinham internado em uma clínica privada.

Autor de vários romances e ganhador de prêmios latino-americanos, Adoum foi durante dois anos secretário privado do Nobel de literatura Pablo Neruda, no Chile, onde se formou em Direito e Filosofia.

Neruda afirmou certa vez que em Adoum o Equador tinha o melhor poeta da América Latina. O seu romance “Entre Marx y una mujer desnuda” (Entre Marx e uma mulher nua), de 1976, deu a ele no México o Prêmio Xavier Villaurrutia.

ao topo