José Bonifácio

José Bonifácio, o patrono da independência do Brasil e da Geologia

No dia 07 de Setembro o Brasil comemora a sua independência. O grande mentor deste novimento foi o santista José Bonifácio de Andrada e Silva, nascido ha 250 anos. Conhecido como “Patriarca da Independência”, ele foi um naturalista, estadista, poeta precursor do romantismo e grande cientista. Como mineralogista ele descreveu quatro novas espécies minerais e oito variedades. A mineralogia foi uma de suas grandes áreas de pesquisas. Foi com emoção que certa vez ao adentrar um longo corredor na Universidade de Coimbra me deparei com o busto do grande José Bonifácio. Um cientista brasileiro, um pioneiro, no século XVIII. José Bonifácio nasceu em Santos no dia 13 de junho de 1763 e faleceu em 6 de abril de 1838, na cidade de Niterói. Com vinte anos de idade partiu para Coimbra e fez estudos jurídicos concluído em 1788, e estudou matemática e filosofia natural, formando-se em 1787.

José Bonifácio foi um homem enciclopédico, típico cientista do século das luzes. Grande leitor dos clássicos escrevia e falava vários idiomas. Alem dos seus muitos trabalhos pioneiros na área de mineralogia, ele escreveu vários artigos sobre economia, política, pesca da baleia, botânica, etc

Em Portugal ele ocupou vários cargos públicos e foi lente de Metalurgia, cadeira por ele criada. Trabalhou ainda com muita dificuldade nos serviços de canalização do Mondego e das obras públicas de Coimbra. Foi Intendente geral das minas e metais do reino, Secretário da Academia das Ciências de Lisboa, entre outras funções públicas. Depois de mais de trinta anos vivendo na Europa, quando alem de Portugal estudou e pesquisou em vários outros países, lutou contra as tropas de Napoleão que invadiram Portugal, e finalmente consegue licença para retornar à sua terra natal onde desempenharia papel fundamental na independência do Brasil. José Bonifácio apoiou a regência de D. Pedro de Alcântara e, depois da Proclamação da Independência, organizou as defesas de militares do Brasil contra a resistência de Portugal. Atuou como ministro do Reino e dos Negócios Estrangeiros entre os anos de 1822 e 1823. Em 16 de julho de 1823, foi demitido por D. Pedro I e passou a atuar politicamente na oposição. Em 11 de novembro de 1823, ocorreu o fechamento da Constituinte, fato que forçou José Bonifácio a se exilar na França por seis anos (“ Querem que em França um desterrado morra”). Depois, retornou ao Brasil tornando-se tutor de D. Pedro II. Faleceu no Brasil no dia 06 de Abril de 1838 na cidade de Niterói aos 75 anos de idade. Em sua ode anos baianos, ele homenageia a terra que lhe deu abrigo, e ao seu irmão Antonio Carlos, militante da Revolução Pernambucana de 1817.
“Não – reduzir-me a pó, roubar-me tudo,
Porém nunca aviltar-me pode o fado;
Quem a morte não teme, nada teme
Eu nisto só confio.”

Físico, poeta e professor [ Ver todos os artigos ]

Comments

Be the first to comment on this article

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Go to TOP