Jovens Escribas celebram 10 anos com turnê literária e festejos natalinos no El Rock

Senti falta esse ano do projeto literário Ação Leitura, do Jovens Escribas. Mas vejam o que essa cambada fez em 2014: estiveram presentes na FLIQ, na Feira do Livro de Mossoró, no FLIPIPA, no FLIPAUT, no FLIN, no No Lombo (SP) e na Feira do Livro de Jaraguá do Sul (SC). Organizou lançamentos em várias cidades (Natal, São Paulo, Rio, Belo Horizonte e Mossoró). Criou, junto a parceiros, o evento mensal Bazar Independente. Lançou 10 livros. E emplacou 2 finalistas no Prêmio Portugal Telecom.

Há que se festejar. Ainda mais quando se completa 10 anos de atividade. E para tal, autores, leitores, amigos e parceiros se encontrarão na próxima quinta (27), a partir das 19h, no El Rock Bar para confraternizar-se e prestigiar os lançamentos dos autores Paulo Costa (carioca radicado em Recife) e Sérgio Fantini (MG). Além, claro de assistir ao show da banda Sangue Blues. O livro de Paulo é o romance ‘Estação Silêncio’ (fiquei curioso pacas pra ler!), e o de Fantini, um livro de contos intitulado ‘A Ponto de Explodir’. Vamos a eles:

‘Estação Silêncio’ é um romance sobre um músico e uma garçonete que se encontram todas as tardes em um café, apaixonam-se e tencionam revelar o que sentem um ao outro. No entanto, um abismo de silêncio se impõe entre ambos. Em meio a reflexões íntimas, lembranças de passados tão distintos e encontros diários, toma-se café e coragem para dizer o que é preciso. Toques de realismo fantástico estão presentes no livro quando cada protagonista parece “ouvir” o que o outro pensa. Trata-se de uma ode ao não-dito, uma bela e merecida homenagem ao silêncio, ao que as pessoas deixam de dizer umas às outras.

‘A Ponto de Explodir’ representa o auge da narrativa urbana de Sérgio Fantini. Os contos acompanham personagens diversos lidando com os dissabores e conflitos inerentes a uma grande cidade, os relacionamentos confusos, a pressão da urbe, a falta de dinheiro, a necessidade de lazer, a busca do amor e tudo o que nos move em meio ao caos urbano. O livro estampa na capa uma belíssima ilustração do artista Guga Schultz, representando o homem urbano angustiado diante da cidade. É Sérgio Fantini na melhor forma, mostrando porque ele é hoje um dos principais contistas do país.

Antes dos festejos, a Jovens Escribas promoverá três lançamentos literários. Nesta terça, além desses dois livros, também lança, em Recife (no Central Bar), obras de Clotilde Tavares, Carlos Fialho, Daniel Liberalino (já li esse caboclo e recomendo!), Lucílio Barbosa, Patrício Jr. e Márcio Nazianzeno. No dia seguinte, obras dos mesmos autores serão lançados em João Pessoa (Empório Café). E na quinta, a já comentada celebração da editora no El Rock. Os três lançamentos a partir das 19h. É pouco ou quer mais? Eu quero!

Jornalista por opção, Pai apaixonado. Adora macarrão com paçoca. Faz um molho de tomate supimpa. No boteco, na praia ou numa casinha de sapê, um Belchior, um McCartney e um reggaezin vão bem. Capricorniano com ascendência no cuscuz. Mergulha de cabeça, mas só depois de conhecer a fundura do lago. [ Ver todos os artigos ]

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três × um =

ao topo