Lanterna na Proa

Por Tácito Costa

Os vídeos de Rolim

Não deu pra ir à abertura do Ateliê Bazar na última sexta-feira, em Ponta Negra, mas fui conhecer ontem à tarde, atendendo convite do poeta Anchieta Rolim, que exibiu dois curtas seus, “Agonia” e “Número 9”. O primeiro tem como base livro ainda não impresso de Rolim e o segundo inspirado na música Revolution 9, do White Álbum, dos Beatles. Ambos, viagens bem particulares e experimentais do poeta de Areia Branca. Para minha surpresa, estavam por lá os pluralistas Ednar, Danclads, Olavo e Damata, o que tornou a tarde ainda mais agradável. Na foto acima, aparecem ainda os artistas plásticos Jota Medeiros e João David.

Transviado, de Alexis e Débora

Farei tudo pra assistir hoje à noite (veja na AGENDA), a exibição do vídeo “TRANSVIADO” (baseado no livro “Geração dos Maus” de José Humberto Dutra), que tem roteiro e direção de Alexis Peixoto e Débora Ramos. Depois rola conversa com os professores Nelson Marques e Alex Galeno. Alexis é velho conhecido e um dos melhores jornalistas da nova geração no Brasil. Na segunda-feira passada, Abimael, do Sebo Vermelho, e o poeta Volonté, me ligaram do Campus da UFRN querendo saber onde era a exibição, parece que confundiram as segundas-feiras.

Paz aos homens de boa vontade

Não tenho como falar no editor Abimael Silva e não fazer referência à volta da amizade entre ele e o poeta Manoel Volonté depois de 15 anos de afastamento. Agora, só andam juntos! Não tenho dúvidas de que este é um dos acontecimentos culturais que já figura entre os mais importantes da presente década, com repercussões geopolíticas ainda não de todo dimensionadas. Vamos torcer para que esses bons ventos soprem em outras direções e o poeta perdoe outros velhos desafetos.

Sobre Fakes e os sufocos da mediação

Fico realmente impressionado com a capacidade que algumas pessoas tem em identificar fakes no SP. Sinto-me às vezes até meio burro porque passo batido nisso. Claro, não estou me referindo aos casos mais óbvios. Da mesma forma, algumas vezes tenho dificuldade em perceber ironia, agressão ou maldade em determinados comentários. Um exemplo recente: não vi nada demais no comentário de Mariluce dirigido a Jóis, que respondeu num primeiro momento agressivamente e depois enviou resposta mais apropriada. Esse tipo de questão é complicado pra mediar porque eu tenho uma visão e uma leitura sobre o texto, que não se dirige e mim, então fica muito difícil tomar uma decisão. Essa parte da mediação é muito chata, principalmente se tenho que vetar o post ou comentário, o que só faço em último caso e com muito pesar.

Comentários

There is 1 comment for this article
  1. Anchieta Rolim 24 de setembro de 2012 14:40

    Tácito, você é o cara!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo