Lavar, relaxar, gozar

Arte: Ligia P. F. Spinelli

Amigos e amigas:

O texto do Vaticano sobre a máquina de lavar e a mulher moderna, divulgado no blog de Milton Ribeiro (aqui), deve ser interpretado em suas sutilezas de linguagem. Recapitulemos: lavar roupa com as mãos é demorado e cansativo, embora os resultados possam ser até melhores (Pierre Verger o assinala em relação às roupas brancas dos baianos pobres que ele fotografou nos anos 40). Enfim, a máquina de lavar foi inventada e razoavelmente disseminada em diferentes grupos da sociedade. Mulheres (e homens, é claro) passam a ter mais tempo para outras atividades, inclusive, o Vaticano o reconhece, relaxados. Que fazer nesse tempo que sobrou?

Ora, uma boa atividade sexual vem a calhar. Relaxados, os dois poderão dedicar-se com afinco aos prazeres da carne, que também são da alma – Deus nos dotou de carne e alma. Enquanto a máquina realiza o processo completo – a que eu tenho dura cerca de uma hora -, dá para o casal fazer preliminares apetitosas e partir para a luta corporal que engrandece, dilata, umidifica, lubrifica e nos leva às nuvens, com direito a retorno para nova decolagem. Bendita máquina de lavar!

Só falta acrescentar: junto com a máquina, tem que garantir tempo livre para os doces prazeres da vida, para o casal não precisar sair correndo feito louco a fim de trabalhar e ganhar mais dinheiro.
O raciocínio se aplica a solteiros e a casais formados por pessoas do mesmo sexo.

Enfim, o Vaticano soltou a franga, liberou geral!

Abraços para todos e, especialmente (neste Dia Internacional da Mulher), para todas, com mais tempo livre dedicado a gozar junto com o parceiro ou a parceira.

E quem preferir gozar sozinho/a, faça-o sem culpa porque a máquina de lavar e o Vaticano deixam. It’s getting better all the time, como diziam os Beatles nos anos 60.

Nasci em Natal (1950). Vivo em São Paulo desde 1970. Estudei História e Artes Visuais. Escrevo sobre História (Imprensa, Artes Visuais, Cinema Literatura, Ensino). Traduzo poemas e letras de canções (do inglês e do francês). Publiquei lvros pelas editoras Brasiliense, Marco Zero, Papirus, Paz e Terra, Perspectiva, EDUFRN e EDUFRJ. Canto música popular. Nado e malho [ Ver todos os artigos ]

ao topo