Lévi-Strauss e o Brasil

Caros amigos:

Li uma entrevista de Gilberto Freyre à revista Veja (não lembro da data, acho que foi nos anos 70 do século passado) e o mestre pernambucano falava depreciativamente do colega francês, dizendo que ele tinha desemburrado no Brasil. Se Gilberto tiver mesmo razão, o Brasil fez um bem danado a Claude – desemburrar não é fácil e as más línguas poderão dizer que Freyre desemburrou quando se alfabetizou em inglês. Além da beleza das análises sobre mitos feitas por Claude, gosto especialmente de um mote presente no livro “O pensamento selvagem”: os selvagens pensam! Quer dizer: adeus à noção de pensamento pré-lógico ou de primitivismo como atraso. A esse respeito, mais uma vez, a Europa se curvou diante do Brasil: Mário de Andrade, numa das notas de “Música de feitiçaria no Brasil” (anterior à vinda de Lévi-Straus para cá), falando do caráter sagrado da realeza entre povos africanos, rejeita a noção de pensamento pré-lógico, admitindo, na pior das hipóteses, um pensamento para-lógico entre os selvagens. Claude gostava muito dos dois Andrades modernistas (considerava Mário um erudito acadêmico e Oswald uma figura surrealista) e fala coisas deliciosas sobre a São Paulo que ele conheceu nos anos 30, como o cheiro do fumo de rolo vendido em feiras públicas. Eu, que morei a um quarteirão da Feira do Alecrim, senti uma embriaguez proustiana quando li essa passagem nos “Tristes trópicos”.

A morte é triste pela perda do convívio com a pessoa que parte. Mas quem fez algo na vida deixa uma presença eterna entre nós. Penso que Claude fez muito, sempre conversaremos com ele nos livros e noutras fontes onde sua bela voz persiste.

Abraços:

Nasci em Natal (1950). Vivo em São Paulo desde 1970. Estudei História e Artes Visuais. Escrevo sobre História (Imprensa, Artes Visuais, Cinema Literatura, Ensino). Traduzo poemas e letras de canções (do inglês e do francês). Publiquei lvros pelas editoras Brasiliense, Marco Zero, Papirus, Paz e Terra, Perspectiva, EDUFRN e EDUFRJ. Canto música popular. Nado e malho [ Ver todos os artigos ]

Go to TOP