Lewandowsk

lewandowski

Por Tácito Costa

Curiosa coincidência. No dia 20 o blog Vi o Mundo publicou uma entrevista com o Conselheiro Nacional do Ministério Público, Luiz Moreira sobre o Mensalão, onde ele enaltece a atuação do ministro do STF Ricardo Lewandowski, o mais malhado (em alguns momentos achincalhado mesmo) durante o processo julgado pelo tribunal. Dois dias depois, na FSP, o advogado Ives Gandra, identificado com a direita, logo insuspeito, também reconhece, um pouco tarde, é verdade, a “postura, tranquilidade e integridade” do ministro.

As duas entrevistas são complementares (postei uma domingo e outra segunda). Moreira se refere às acusações do MP contra os réus como uma peça de ficção literária. Gandra diz que não existem provas contra Dirceu e adverte para o perigo do tal “domínio do fato” (até onde vai o meu entendimento jurídico baseado no “achismo”).

Se juntarmos às duas entrevistas as opiniões de Alberto Dines e Luciano Martins, do Observatório da Imprensa, e as de Jânio de Freitas, uma das poucas vozes equilibradas na FSP, se chega facilmente a conclusão de que o STF pisou feio na bola nesse julgamento.

A essa altura, desconfio de que quem estava em julgamento não era Dirceu, Delúbio, Genoíno, mas o Partido dos Trabalhadores inteiro e os governos Lula e Dilma. A Bolsa Família, o Enem, Cotas, direito às domésticas, Mais Médicos…

O fato é que alguns ministros embarcaram de cabeça na obsessão de parte da mídia, notadamente FSP, Estado de São Paulo, Globo e Veja. As duas últimas capas de Veja são eloquentes nesse aspecto.

Diante disso, só vejo uma saída. Pedir urgentemente ao Papa Francisco, que falou recentemente na obsessão de alguns religiosos sobre temas polêmicos, para que ele interceda pelo fim da idéia fixa de parte da mídia brasileira. Eu não acredito muito em milagre, mas não custa tentar.

(Hoje de manhã, por pura provocação, puxei o assunto mensalão, num grupo de pessoas. Um saiu-se com essa: “Lewandowski é um mafioso”. Outro: “o negão é foda”). A percepção popular é esta e a culpa não é minha.

Comments

There is 1 comment for this article
  1. Lívio Oliveira 24 de Setembro de 2013 15:06

    Ótima análise, caro Tácito. Há excessos muito evidentes na mídia. E a opinião pública massificada termina embarcando sem fazer a filtragem devida. Não sejamos uma manada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Go to TOP