Linguagem e hipocrisia

Meu caro Tácito. Se eu tivesse nascido negro, com era minha avó paterna, queria ser chamado de negro e não de afro descendente. Se um dia eu quebrar uma perna e ficar aleijado, quero ser chamado de aleijado e não de “portador de necessidade especial”. Já pensou como o Aleijadinho se sentiria com a mudança do seu apelido? Certamente diria: “Necessidade especial é vontade de cagar”.

Ex-Presidente da Fundação José Augusto. Jornalista. Escritor. Escreveu, entre outros, A Pátria não é Ninguém, As alças de Agave, Remanso da Piracema e Esmeralda – crime no santuário do Lima. [ Ver todos os artigos ]

ao topo