Lívio foi corajoso

Pertinente, isento e corajoso o texto do poeta Lívio Oliveira sobre a crise na Funcarte e Fundação José Augusto. Disse o que se comenta em cada canto da cidade. Como ele frisou, a nossa sorte é que nos últimos anos o setor cultural diminuiu a dependência do poder público. O trabalho das editoras particulares e da EDUFRN, de instituições e pessoas, ajudaram o RN a não mergulhar de vez nas trevas.

Agora, muito sinceramente, não acredito em mobilização para reverter a situação. Não se trata de pessimismo ou derrotismo antecipado, mas apenas a opinião de quem conhece um pouco os índios e caboclos da aldeia. Existem muitos interesses em jogo e o silêncio de quem poderia se somar para cobrar mudanças é por demais esclarecedor.

Go to TOP