Terceiro longa-metragem de ficção produzido em Natal já tem data para estreia no cinema

Não é apenas um filme com produção local, elenco da poderosa Rede Globo e figuras cults como Paulo César Peréio. É também um filme filmado em Natal, que conta um pedaço da história da cidade e com toda a parte técnica formada por profissionais daqui, além de atores e figurantes.

Se não bastasse, ‘Nova Amsterdã’ é tão somente o terceiro longa-metragem de ficção produzido na história do Rio Grande do Norte. Os outros dois – Jesuíno Brilhante (direção de Willian Cobbet, 1972) e Boi de Prata (Augusto Ribeira Jr, 1980) – datam de mais de 30 anos! Eis a devida colocação desse filme na história do cinema potiguar.

As filmagens de Nova Amsterdã começaram há anos. Foi interrompida por falta de recursos e reiniciada há poucas semanas após o cineasta responsável pela direção e roteiro do filme, Edson Soares, aprovar o filme em edital junto ao Fundo Setorial de Audiovisual.

As filmagens devem ser concluídas no próximo mês de outubro e com estreia marcada para dezembro ou janeiro nos cinemas de Natal. A distribuição será nacional, ainda sem data. O filme deverá ser vendido ao canal History Chanel ou Canal Brasil.

A sinopse de Amsterdã conta, basicamente, o romance entre um jovem casal durante o período da invasão holandesa no Rio Grande do Norte, no ano de 1633. Ao contrário de Titanic, o romance é ficcional, mas calcado sob fatos históricos do nosso período colonial.

A gravação é toda concentrada em um galpão alugado no bairro do Alecrim. Cenários da Fortaleza dos Reis Magos e do engenho Ferreiro Torto foram montados lá. Na equipe há marceneiros, cenógrafos, figurinistas e todo o corpo técnico necessário para essas montagens.

Infelizmente foi impossível filmar na própria Fortaleza ou no engenho. Barulho, transporte do elenco e, principalmente, falta de infraestrutura adequada nos dois locais, forçaram as gravações no estúdio e ao uso do croma-key. Na Fortaleza ou no engenho, a energia disponível não resistiria a um refletor.

Além de Peréio, que fará o papel do dono do Ferreiro Torto, o elenco conta com Roney Villela (Tropa de Elite), que fez o capitão-mor do Forte; Anselmo Vasconcelos será Jacob Rabbi, o alemão sanguinário; Leonardo Miggiorin é o protagonista masculino; Cristina Prochaska será a mãe da protagonista, vivida por uma atriz local, Thalita Kumme; Joanna Fomm será a tia da protagonista; e Marcélia Cartaxo será a mulher de Pereio.

A equipe técnica é formada por Roberto Morais (fotografia), Alessandro Souza (câmara), Edesiane Maria (coordenadora de produção), Luís Molinar (direção de arte), Beto Maciel (supervisão de efeitos). Todos profissionais locais.

NOVO PROJETO
Edson Soares não para. Ainda em outubro começa outro projeto: a série de TV Omicron, em formato de minissérie de ficção científica e aventura, captada em alta definição para ser exibida em formato de 12 episódios (de cerca de 40 minutos cada um). A minissérie será produzida também no RN, pela sua produtora Engady Cine Video. A exibição será pelo canal Prime Box Brasil.

A série posteriormente será exibida no circuito de salas digitais de cinema numa versão reduzida de até 120 minutos. Em seguida comercializada em PPV, VOD, além da venda em boxes de DVD e Blu Ray com a obra completa. A história se passa na região Nordeste e na Amazônia de 2080. O roteiro é livremente inspirado no conto ‘O Imortal’, de Machado de Assis, com doses extras de drama, magia, aventura e ação.

FOTO: Nara Kelly (atriz), Roberto Morais (diretor de fotografia), Edson Soares e Roney Villela (ator).

Jornalista por opção, Pai apaixonado. Adora macarrão com paçoca. Faz um molho de tomate supimpa. No boteco, na praia ou numa casinha de sapê, um Belchior, um McCartney e um reggaezin vão bem. Capricorniano com ascendência no cuscuz. Mergulha de cabeça, mas só depois de conhecer a fundura do lago. [ Ver todos os artigos ]

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo