Louras, King Kong, jogadores pretos

Caros amigos:

A frase de Danilo Gentili estabelecendo paralelo entre jogadores pretos e King Kong é de rara infelicidade. Mas entendo que não vale a pena ficar com raiva pessoal dele. Melhor aproveitar o acontecido para debater esses valores protoracistas – ou racistas mesmo – que circulam na sociedade brasileira e fazem as pessoas (não só Danilo) rirem de uma besteira daquela. Até porque a loura parecia curtir muito King Kong. E os negões humanos estão em alta como símbolos sexuais, não é?

Abraços:

Nasci em Natal (1950). Vivo em São Paulo desde 1970. Estudei História e Artes Visuais. Escrevo sobre História (Imprensa, Artes Visuais, Cinema Literatura, Ensino). Traduzo poemas e letras de canções (do inglês e do francês). Publiquei lvros pelas editoras Brasiliense, Marco Zero, Papirus, Paz e Terra, Perspectiva, EDUFRN e EDUFRJ. Canto música popular. Nado e malho [ Ver todos os artigos ]

ao topo