Lula e os presos políticos cubanos

Amigos e amigas:

A FSP de hoje (10.3) publicou declarações de Lula sobre presos políticos e greve de fome em Cuba. Rejeita o último recurso, indagando sobre o que ocorreria se os bandidos presos em São Paulo fizessem aquilo em bloco, e pede respeito às decisões da Justiça de Cuba.

Sintomas políticos: presos de opinião comparados a bandidos que mataram ou roubaram; a Justiça (cubana ou qualquer outra) como instância acima de crítica.

Compreendo que um presidente da república evite comentar assuntos embaraçosos em nome das relações diplomáticas ou questões similares. Mas Lula comentou! E comentou muito mal – será muito explorado, com razão, pela Imprensa que lhe faz oposição.

O que há de pior, no episódio cubano, é pessoas serem presas por dissidência política. Combater um regime não é tirar a vida de ninguém nem sequer roubar-lhe bens. O regime cubano age como quem oprime em nome de extrema insegurança: não tem resposta para dar às críticas?
Quanto aos presos de São Paulo: continuam a ser cidadãos em estado de punição. Se fizerem greve de fome, periga melhorarem a saúde porque os padrões alimentares dos presídios brasileiros são tristemente famosos. A indiferença em relação a esse triste recurso apavora.

É claro que não dependemos de Lula para pensarmos sobre Cuba nem nada. Mas criticar o que merece ser criticado (Cuba, Lula, FHC, EEUU…) é obrigação de quem pensa.

Abraços a todos e todas:

Nasci em Natal (1950). Vivo em São Paulo desde 1970. Estudei História e Artes Visuais. Escrevo sobre História (Imprensa, Artes Visuais, Cinema Literatura, Ensino). Traduzo poemas e letras de canções (do inglês e do francês). Publiquei lvros pelas editoras Brasiliense, Marco Zero, Papirus, Paz e Terra, Perspectiva, EDUFRN e EDUFRJ. Canto música popular. Nado e malho [ Ver todos os artigos ]

ao topo