Mais Perto de Deus

Por Tullio Andrade

Essa deve ser a explicação para se empreender tanto tempo, esforço e dinheiro para se construir monumentos em glória à fé. Mas cá com minhas ignorâncias eclesiásticas sempre achei que para falar com Deus bastava abrir seu coração, estivesse onde quer que fosse…

Mas pelo jeito eu estava errado, tendo em vista a quantidade e grandiosidade das estátuas erguida pela fé. Exemplo maior (e o adjetivo aqui foi escolhido de propósito) tivemos no final do mês passado, quando foi inaugurada a estátua de Santa Rita de Cássia no município de Santa Cruz (RN).

“É a maior do mundo”, bradaram os megalomaníacos da cristandade. Com 56 metros de altura a Santa é mais alta que o principal ícone brasileiro da religiosidade, o Cristo Redentor; e custou aos cofres públicos a bagatela de quase R$ 4 milhões.

Legal, temos a maior Santa do mundo… E daí? Isso nos tornou mais humanos, mais caridosos, mais honestos, mais preocupados com o próximo, mais amáveis? Porque é assim que ganha pontos com o Todo Poderoso; e não com toneladas de concreto esculpidos no alto de uma serra.

Sem dúvidas que se trata de uma bela obra de arte, de que sua beleza é indiscutível e de que isso vai trazer benefícios vários para o turismo da cidade… Mas Santa Cruz não terá uma atenção maior por parte do Cara Lá de Cima só por causa dessa santa. (Ou será que Ele é míope e precisava mesmo de uma estátua tão grande – e tão cara – para que Ele pudesse enxergar os cidadãos da cidade?). Sem falar que, concepções religiosas à parte, justificar uma obra dessas com o apelo religioso é querer transformar a fé num comércio. E isso sim é uma heresia.

E mais… Alguém ainda está na ilusão de que o dinheiro que o turismo religioso vai trazer para a cidade vai ficar com o povo de Santa Cruz? Óbvio que como em qualquer empreendimento comercial quem vai ficar com a parcela maior dos lucros serão os empresários (e políticos) da região. Não sou muito bom de matemática e muito menos de economia, mas acho que quase quatro milhões fariam uma diferença enorme na vida de 35 mil habitantes se esse dinheiro fosse investido em outras áreas, como educação, saúde, segurança, habitação…

É nisso que dá misturar religião e política. E essas coisas não se discutem, já dizia a sabedoria popular. Então é melhor parar de falar disso e rezar para Santa Rita de Cássia para que um dia os nossos governantes realmente passem a se preocupar com o povo e não com seus interesses particulares (e eleitoreiros); porque essa graça só mesmo a Santa das Causas Impossíveis pode conseguir.

Tullio Andrade Jornalista e Escritor www.verborragicos.com

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezesseis − 14 =

ao topo