Maldita infância

http://1.bp.blogspot.com/_OslR0ps2eag/SqLnbIpkmfI/AAAAAAAAAEw/MvY8J3HLVX4/s1600/Quadro%2BAnita-%2BMenino.jpg

Não tenho uma foto da infância para o meu perfil porque nem tive infância que mereça isso. Me lembro poucas vezes se tive alguma felicidade, mas solidão tive muita. A vida nunca me abriu os braços como pensei que fosse. Tive de bater nela com a impiedade dos açoitadores. A vida merece o tronco.

Envelheci assim que nasci. Saí do ventre com a mesma cara que tenho hoje e não escondo isso de ninguém, por isso, não tenho fotos para o meu perfil. Fui mais amigo do gado do que das gentes que cercavam o mesmo pasto e os velhos currais. As vacas sim, elas têm a paciência divina. Talvez deus fosse uma vaca e o homem seu animal de estimação faminto.
Deus nunca esteve onde eu estava, disso me lembro bem. Nunca levou meus braços, nem minhas pernas, ou meus olhos que tantos gostam, mas tirou de mim não sei o que, que não encontro mais. Tirou de mim a meninice e depois secou a lagoa onde eu pescava os ninhos dos socós. A lagoa secou e a água nos foi dada por empréstimo de estima, verde, embora doce, mas verde do mesmo tanque onde bebiam as cabras.

O meu avô era mais menino do que eu, embora nunca brincasse. Estava sempre andando nas pressas mais ligeiras. Foi nos corredores que me ensinou a ralhar e a ser menos sereno como sou agora. Mas ele me amava de uma maneira que ninguém nunca amou. Amou-me espiritualmente como os velhos índios americanos.

Se detestam minha cara a culpa é minha. No lugar de meninice, apreendi a ranzinza dos velhos da minha casa. Nunca fui menino e, portanto, não sei brincar de meninança nem de universidades. Eu sou um velho apache sem rebanhos e sem toga, aguardando o momento de estancar meu tempo no tempo certo ou de ter a certeza de que estou aqui, mas já não deveria.

Filho de Apodi/RN é Jornalista, assessor de imprensa e eventos do Instituto do Cérebro da UFRN. Membro do coletivo independente Repórter de Rua, articulista no Jornal de Fato (www.defato.com) e organizador da Revista Cruviana (www.revistacruviana.blogspot.com).rinas & Urubus (www.aspirinasurubus.blogspot.com). [ Ver todos os artigos ]

Comentários

Há 10 comentários para esta postagem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo