Manga com leite faz mal?

A discussão sobre a estética do cangaço e a sedução pelo mal valeu alguns textos aqui. Não sei se encerrou, mas já deu pra formar um dossiê sobre o tema, mesmo que com as muitas deturpações havidas, como aquela primeira que não quis atentar que o fenômeno da violência e de seus componentes de sedução estão tanto no cangaço, quanto no nazismo, no fascismo, no tráfico dos morros cariocas, na máfia italiana…

De qualquer sorte, meu alerta iconoclasta valeu. Tem valido, sempre, apesar da pancadaria. Não escrevi para diminuir o trabalho de pesquisa histórica sobre o assunto, ao contrário. Estou até interessado em ler o belo livro do Frederico Pernambucano. O meu objetivo, de fato, era e é o de que se veja a coisa sob outros ângulos. O endeusamento de bandidos no Brasil (alguém até falou, de maneira ridícula, em mais importante “grife” nordestina) é algo tão poderoso que provocou, por certo tempo, uma muda tolerância àqueles criminosos que, no Rio de Janeiro, fogem hoje feito baratas.

Meu objetivo maior enquanto eventual colaborador deste blog é a desmistificação de tudo, tudinho. Acredito que o espaço, aqui, é, principalmente,  de debate, de discussão de ideias em torno de temas diversos. É diferente de quase tudo que há no mundo dos blogs (inclusive do meu, que tem um caráter mais de entretenimento cultural). E aí é que reside o grande sucesso da ideia originária (com louvor) de Tácito Costa. Aí é que reside a liderança desse Jornalista no mundo da cultura e do pensamento. E, não somente aqui na terrinha ensolarada, como já ficou visto.

Mas, é bom que fique claro novamente que ninguém merece mais conviver com o fanatismo travestido de argumentos intelectuais e “sapiência” acadêmica. Precisamos de arejamento de ideias. Necessitamos, urgentemente, de discussões que tenham um “olhar circular”.

Senão, daqui a pouco vamos discutir se o homem foi ou não à lua.

E tem gente que ainda não acredita, assim como tem gente que crê que manga com leite faz mal…

Advogado público e escritor/poeta. Membro da Academia Norte-Rio-Grandense de Letras. [ Ver todos os artigos ]

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

11 − dez =

ao topo