Mãos

Por Oreny Júnior

Quando afundamos nossas mãos, unimos espelhos côncavos e convexos, apalpamos, aplaudimos, unimos sentimentos, talvez desacordados anteriormente, assim, fechamos uma imagem, qual uma ostra, parindo pérolas!

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo