Marieta Lima

Centenário de nascimento de Marieta Lima. Nome emblemático na chamada geografia humana mossoroense. De quando em vez, uma ou outra figura pública tem o centenário de nascimento lembrado, mas, sem a presença física do homenageado. Com Marieta, graças a Deus, será diferente. Ela está presente. Seu corpo aparentemente frágil desafia estatísticas e alcança os três dígitos, contando com o carinho de amigos e familiares. E, talvez, o mais importante: a data faz reverberar uma inquietação em torno de sua obra artística.

Nas últimas duas décadas sua produção rareou. Mas, sua fecunda produção pode ser contemplada em inúmeros quadros que adornam salas de Mossoró. De Mossoró, vírgula. Suas telas estão espalhadas por outros tantos recantos. Não sendo crítico de arte, pouco, ou quase nada, posso dizer de seu estilo. Sei que a temática de suas telas é bastante variada. Como exemplos, vejam esses dois quadros: Um retratando Tibau. Sim, a praia de Tibau quando ainda existiam os morros coloridos… E o outro, traduzindo a típica imagem do vaqueiro nordestino.

Viva Marieta Lima, que hoje comemora cem anos… Ou, como diriam antes: Salve 12-01-2012!

Escritor e professor universitário. [ Ver todos os artigos ]

Comentários

Há 5 comentários para esta postagem
  1. David de Medeiros Leite 26 de abril de 2013 18:54

    Emídio, salve!
    Espero que a leitura seja agradável…
    Abraços
    David

  2. Emídio Lopes 26 de abril de 2013 12:50

    Oi, David. Acabo de receber INCERTO CAMINHAR, obrigado. Vou ler, reler e ruminar com carinho e atenção. Abraço fraterno.

  3. Emídio Lopes 4 de fevereiro de 2013 10:31

    Viva Marieta! Desfruto a satisfação de ler você. Também tive o prazer de sabê-lo irmão de uma colega de profissão: Ilza. Abraço fraterno.

  4. Lúcia Helena Lopes de Medeiros 19 de janeiro de 2012 21:16

    Boa noite.

    Revirando todas as mensagens em homenagem a minha querida avó; verfiquei o qto é importante o “guardar” no baú, todas as preciosidades de suas relíquias artísticas.
    Agradeço a todos que valorizam suas obras e não perderam a sensibilidade.
    Jornal, impresa que arquiva fatos como estes e fotos, mostram-nos o qto devemos enriquecer nossa cultura com justas celebrações de vida .A todos que contribuem ou contribuiram. Bom que seja sempre assim.
    Obrigada, abraços. Lúcia Helena.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo