Marilyn no Blomsday

Carlão,

Na semana passada Fernando Monteiro enviou essa mesma foto de Marilyn lendo o “Ulisses”, só que estampada na capa de uma revista. Segundo ele, para eu usar quando tivesse uma oportunidade. Só que essa semana eu dei com um site chamado “O Silêncio dos Livros”, com fotos e pinturas fantásticas de pessoas lendo. E a foto de Marilyn estava lá, sem ser na capa da revista, logo, menos poluída visualmente. Hoje quando eu postei o texto que fala dos clássicos, não tive dúvida, fui lá no “Silêncio” e importei a foto da musa. A compenetração da atriz não deixa dúvidas:  ela tá lendo e entendendo tudinho (se viva fosse iria sugerir a vinda dela para o Blomsday do prof. Francisco Ivan). Já pensou ela e Jota Medeiros discutindo o universo joyceano?!

No seu post da manhã, acerca de o Diário de Natal, gostaria de me pronunciar porque estou entre os que saudaram as mudanças no jornal. Mas lembro que depois teci algumas críticas, construtivas, acerca destas mudanças. Mantenho o que disse nos dois momentos porque aquelas observações continuam atuais. A impressão que tenho é que a dose do remédio usada para sanar os males do jornal foi tão desproporcional (hoje, podemos constatar que foi desastrosa) que ao invés de curá-lo, ou mesmo melhorá-lo, ameaça levá-lo à morte. Vejo com muita preocupação o futuro do Diário.

ao topo