Mário Faustino – Clássico do Mês

Reedição do livro “O Homem e Sua Hora” confirma a importância do poeta que, na década de 1950, aproximou dois polos até então inconciliáveis: a tradição e a transgressão. Fabrício Carpinejaraqui

ao topo