Melodrama e tragédia em Almodóvar

Por Sérgio Telles

A Pele Que Habito, novo filme de Almodóvar, é uma boa vitrine de suas habituais estereotipias, responsáveis pela criação de um mundo ficcional marcado pelo excesso, pelo exagero, pelo kitsch melodramático onde circulam personagens a um passo da caricatura.

aqui

Comentários

There is 1 comment for this article
  1. Jarbas Martins 12 de novembro de 2011 11:08

    o filme deve valer, como se não bastasse Almodóvar, pela voz espanhola de Concha Buika, que junta jazz e flamenco. é de enlouquecer. tive conhecimento dessa cantora através do Facebook, indicação de Fernando Monteiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo