Memória, verdade e Lei

Amigos:

Setores da Imprensa noticiaram o mal-estar entre alguns militares diante do anúncio de uma Comissão brasileira destinada a investigar responsabilidades em relação a crimes da ditadura de 1964/1964. Os ministros do Exército e da Aeronáutica, segundo noticiários, ameaçaram demissões se essas questões não forem encaminhadas de maneira diferente.
Entendo que a ditadura de 1964/1984 jamais foi apenas militar (Carlos Lacerda, Delfim Neto, Paulo Maluf…). Nesse sentido, a verdade e as responsabilidades a serem apuradas jamais se limitarão aos quadros militares.
É preciso cautela para não se sugerir um compromisso com a mentira como legitimadora de poderes. Outros países do mundo investigaram responsabilidades por crimes semelhantes e a sociedade (da qual as Forças Armadas fazem parte) não desmoronou.
Investigar e, se for o caso, punir não é se vingar de ninguém, é reafirmar compromissos com a Lei. Fora da Lei, não vejo saída.
Abraços:

Nasci em Natal (1950). Vivo em São Paulo desde 1970. Estudei História e Artes Visuais. Escrevo sobre História (Imprensa, Artes Visuais, Cinema Literatura, Ensino). Traduzo poemas e letras de canções (do inglês e do francês). Publiquei lvros pelas editoras Brasiliense, Marco Zero, Papirus, Paz e Terra, Perspectiva, EDUFRN e EDUFRJ. Canto música popular. Nado e malho [ Ver todos os artigos ]

Go to TOP