Merda e ditadura

Meu irmão Tácito Costa,/ por falar em Ditadura/ minha paciência some/ me empreste seu sobrenome/ pra poder rimar com bosta/. Sai da boca da Funcarte/ e passa pela brancura/se a bunda no vaso encosta/. Se tudo que existe é arte/ misturada ou sem mistura/ todo ditador é parte/ do mundo da merda pura.

Ex-Presidente da Fundação José Augusto. Jornalista. Escritor. Escreveu, entre outros, A Pátria não é Ninguém, As alças de Agave, Remanso da Piracema e Esmeralda – crime no santuário do Lima. [ Ver todos os artigos ]

ao topo