Mesopotâmia e Persa

Caro Tácito, li dois bons livros esta semana. Trata-se de “Mesopotâmia – a invenção da cidade” de Gwendolyn Leick e “Fogo Persa” de Tom Holland, que é o mesmo autor de “Rubicão” sobre a Roma antiga e a queda da República. Sobre a Mesopotâmia gosto muito do livro “Mesopotâmia – o Berço da Civilização” de Samuel Noha Kramer, mas considero Holland um historiador dos melhores. É incrível como as gerações mais novas simplesmente estão afastadas do conhecimento histórico, básico. Muita gente acha que o mundo começou com Deus dizendo, “faça-se luz, e a luz se fez”. Agora imagine, se o mundo foi feito por um só “ser” ou, vá lá “homem” ou Deus, é algo completamente totalitário. Imagine. O politeísmo nesse sentido me atrai mais, ainda que Freud (judeu mas ateu) tenha percebido no monoteísmo um avanço cultural, e é. A vida é coletividade e antes, muito antes, que os hebreus dessem inicio ao primeiro monoteísmo, o mundo já estava a toda, com seus vários deuses. Mas acho que Marcos Silva que é historiador (não é isso?) pode ajudar a complementar as idéias.

ao topo