Meu primeiro poema de 2012

Por Iara Carvalho

caramujos presos no aquário me
prometem lições de guardar silêncios.

a umidade toda dos olhos se desatina em
conchas de concreto, lágrimas de cimento arquitetando
paisagens inteiras, ou um lápis doendo.

sei que são escuras suas brânquias
e macias as cordas que customizam sua pele
com lã e ninhos de água.

mesmo assim, pesco sua noite
e sua respiração é quase tão perturbadora
quanto um livro de poemas aberto.

Leia mais poemas de Iara Carvalho: aqui

Comentários

There is 1 comment for this article
  1. Lívio Oliveira 25 de abril de 2012 5:32

    Iara deveria publicar mais aqui. E esse título do poema está inadequado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo