MILITANA guardiã da poesia

Por Nando José

Cala-se o tempo, emudece a voz, entristece a alma parte em paz, MILITANA de todos os dias, na curva de São Gonçalo silencia a poesia.

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

6 + 15 =

ao topo