MIMO 2011 – programação

Mostra Internacional de Música em Olinda chega à oitava edição e se firma como um dos mais expressivos eventos do gênero no país com programação gratuita

Gotan Project e Philip Glass estão entre as atrações internacionais

Nomes como Egberto Gismonti, Guinga e Arrigo Barnabé também marcarão presença

Um dos mais expressivos eventos no Brasil que trabalha de forma abrangente com o limite entre o popular e o erudito e sem a cobrança de ingressos, a MIMO – Mostra Internacional de Música em Olinda chega à sua oitava edição entre os dias 5 e 11 de setembro de 2011. O festival é idealizado por Lu Araújo, que divide com André Oliveira a direção artística. A produção é da Lume Arte Projetos Culturais e patrocínio do Ministério da Cultura, BNDES, Empetur, Chesf, Funarte e Prefeituras de Recife e de Olinda. O cenário não poderia ser mais aconchegante e paradisíaco, a acolhedora cidade de Olinda, que incrementa ainda mais o seu potencial turístico com o evento que recebe pessoas de todo o mundo dispostas a assistir verdadeiros concertos nas igrejas históricas.

A MIMO reúne cerca de 50 atrações, com nomes nacionais e internacionais. Artistas, como o grupo Gotan Project e Philip Glass vão iniciar a turnê sul-americana pela Mostra. Além das apresentações em espaços como a Igreja da Sé, Seminário de Olinda e Igreja do Monte, entre outros patrimônios, a MIMO ainda oferece workshops com artistas renomados e de forma democrática: o acesso é gratuito. A cidade de Olinda vai abrigar a maior parte das atrações, que se estendem por igrejas centenárias de Recife e João Pessoa.

Os números impressionam: participam nessa oitava edição cinco orquestras sinfônicas. A MIMO multiplica o seu público a cada ano. A primeira edição teve a participação de cerca de 12 mil pessoas enquanto a última reuniu mais de 100 mil. Segundo a Secretaria de Turismo e Desenvolvimento Econômico de Olinda, a MIMO faz com que o faturamento na cidade durante os sete dias de evento chegue a R$ 6 milhões. Nos centros urbanos da região Nordeste e, em especial em Pernambuco, a economia atravessa um novo ciclo de expansão. Foi o estado com maior crescimento econômico, com taxa acumulada de 9,4% no ano passado, em análise apresentada pelos economistas da Ceplan (Consultoria Econômica e Planejamento).

As igrejas tornam-se o cenário de uma oportunidade ímpar para assistir a performance de nomes como os internacionais Alex Tassel, Orquestra de Câmera de Toulouse e Daniel Gortler. Guinga, Arrigo Barnabé e Egberto Gismonti, entre muitas outras atrações também marcarão presença nessa oitava edição. Não podemos deixar de destacar a riqueza gastronômica de Olinda com seus charmosos restaurantes, como Trattoria Don Francesco, Maison do Bonfim e Oficina do Sabor que encantam a todos, somando mais alguns motivos para tornar esse evento inesquecível. O Grupo Gotan Project será o grande destaque do Palco do Carmo, que junta uma multidão para conferir o show ao ar livre. (Programação de shows completa mais abaixo)

Etapa Educativa – Cursos Gratuitos, como o de regência com o Maestro Isaak Karabtchevsky, incrementam ainda mais a Mostra

Uma semana inteira, de 5 a 11 de setembro, será dedicada à Etapa Educativa, que ocorre entre as cidades de Olinda, Recife e João Pessoa nas seguintes categorias: oficina de formação de orquestra, curso de regência, master classes, workshops e projeto MIMO para Iniciantes, este último nas escolas da rede pública. A inscrição para a participação dessa primeira etapa é feita pela internet e é uma chance dos interessados em música terem aulas ministradas por nomes como Isaac Karabtchevsky e outras atrações do evento. Philip Glass, Hamilton de Holanda, Marcos Suzano e Arrigo Barnabé são mais alguns músicos que vão enriquecer a bagagem cultural dos participantes da mostra.

Festival MIMO de Cinema – Atrações como “Canções do Exílio: a Labareda que Lambeu Tudo” serão exibidos gratuitamente em telões espalhados pela cidade

Paralelo aos shows e concertos, acontece o Festival MIMO de Cinema, com direção de Lu Araujo e da cineasta Rejane Zilles. Com uma seleção de 15 filmes com referências musicais, o Festival acontece entre 6 e 11 de setembro, também em Olinda. A programação é definida pela recente safra nacional e apresenta filmes inéditos em Pernambuco. Os filmes são projetados em telas de grandes dimensões ao ar livre, nos pátios das igrejas da Sé e Seminário de Olinda, com estrutura para acomodar confortavelmente a platéia. A expectativa é que tenham um público de aproximadamente 20 mil pessoas (Programação completa mais abaixo).

Confira a programação oficial MIMO 2011 em Olinda, Recife e João Pessoa:

DELIA FISCHER

7 de setembro | 18h | Igreja de N. S. do Rosário dos Homens Pretos (Olinda/PE)

Compositora, arranjadora, pianista de técnica apurada e agora também cantora, Delia reverencia a obra de Egberto Gismonti no CD “Saudações, Egberto”, que acaba de lançar. Iniciou a carreira na década de 80 com o Duo Fênix, ao lado de Cláudio Dauelsberg, acompanhou músicos como Toninho Horta e Ed Motta e assinou orquestrações para musicais de sucesso como “Beatles num céu de diamantes”, pelo qual recebeu o Prêmio Shell.

PARAHYBA ART ENSEMBLE

7 de setembro | 18h | Igreja de São João Batista dos Militares (Olinda/PE)

Esse Coletivo, formado por músicos que se encontraram na Paraíba, reúne artistas de diferentes origens e nacionalidades, defende a música como uma experiência permanente, seja na sua formação ou no repertório, que tem como base o improviso. A ideia é tornar cada performance uma vivência única. O repertório agrega diferentes referências musicais: o hip-hop experimental, o jazz nordestino, a sonologia e a africanidade eletroamplificada. A projeção de imagens ao vivo ajuda a criar a ambiência visual do espetáculo.

GUINGA E ORQUESTRA SINFÔNICA DO RECIFE

Osman Gioia, regente. Solista: Guinga, violão

7 de setembro | 18h30 | Parque Dona Lindu (Recife/PE)

Guinga é parceiro de alguns dos maiores nomes da MPB, como Paulo César Pinheiro e Chico Buarque e consagrou-se por suas refinadas melodias e harmonias. Com 30 anos de carreira e turnês pela Europa e Estados Unidos, apresentará na MIMO, acompanhado da Orquestra Sinfônica do Recife e sob a regência do maestro Osman Gioia, o mesmo concerto que fez para 4,5 mil pessoas no Walt Disney Concert Hall com a Filarmônica de Los Angeles.

TRIO 3-63

7 de setembro | 19h | Seminário de Olinda (Olinda/PE)

Formado por músicos nascidos em 1963 – a flautista Andrea Ernest Dias, o pianista Paulo Braga e o percussionista Marcos Suzano – o trio passeia por várias tendências da música instrumental brasileira. Mostrará faixas do primeiro CD “Trio 3-63” e recriações de Moacir Santos, como “Isto é bom”, “The beautiful life”, “Love go down” e “Sambatango”, encontradas por Andrea no acervo do mestre na Califórnia.

BALLAKÉ SISSOKO E VINCENT SEGAL (Mali | França)

7 de setembro | 20h30 | Igreja da Sé (Olinda/PE)

9 de setembro | 20h | Igreja de São Francisco (João Pessoa/PB)

Um dos maiores tocadores de kora (instrumento que reproduz um som semelhante ao da harpa e tem 21 cordas), o africano Ballaké Sissoko e o violoncelista francês Vincent Segal, integrante do Duo Bumcello, se encontram no palco da MIMO. Os solos ficam a cargo de Sissoko, enquanto o violoncelo de Segal se desdobra ao fundo, para abrir caminhos à kora em uma dezena de temas.

DUO MILEWSKI

8 de setembro | 18h | Convento de São Francisco (Olinda/PE)

O violinista polonês e a pianista brasileira, que formam o Duo Milewski, se conheceram quando Aleida Schweitzer foi à Varsóvia aprofundar os conhecimentos que adquiriu no Conservatório de Música do Paraná, durante a graduação. Antes de se naturalizar brasileiro e gravar com grandes nomes da MPB, Jerzy Milewski graduou-se e fez mestrado na Academia de Música de Varsóvia e foi solista da Orquestra de Câmara da Filarmônica Nacional da Polônia.

ARRIGO BARNABÉ

8 de setembro | 18h30 | Igreja de N. S. do Rosário dos Homens Pretos (Recife/PE)

Apresentada, com sucesso, no Brasil e no exterior, “Clara Crocodilo – uma suíte a 4 mãos” é um ponto de inflexão na obra de Arrigo Barnabé, o compositor que melhor fundiu as invenções formais da vanguarda erudita e os códigos diretos da cultura pop. O público da MIMO poderá ouvir esta obra definitiva na música brasileira, num formato de dois pianos. Complementam o programa temas de forte impacto como “Sabor de veneno”, “Diversões eletrônicas” e “Orgasmo total”. Arrigo será acompanhado pelo pianista Paulo Braga.

AZYMUTH

8 de setembro | 19h | Seminário de Olinda (Olinda/PE)

Eles se conheceram nos anos 70, criaram o Azymuth e lançaram o primeiro álbum em 1975, emplacando o hit “Linha do horizonte”. Os sucessos se multiplicaram e a música global e sofisticada, calcada em batidas que unem o soul, o jazz, o samba e o rock, agradou ao público internacional e virou referência da música instrumental brasileira. O trio vem à MIMO mostrar o novo CD, “Aurora”.

ORQUESTRA SINFÔNICA DE BARRA MANSA

Vantoil de Souza, regência. Solista: Felipe Braz, flauta

8 de setembro | 20h | Basílica de Nossa Senhora das Neves (João Pessoa/PB)

A orquestra da pequena cidade fluminense surgiu com o bem-sucedido projeto Música nas Escolas, que atende a 25 mil crianças e adolescentes em 72 escolas da rede municipal. Formada por 105 jovens músicos, realiza em torno de 40 concertos por ano, sob a direção artística de Vantoil de Souza, também regente titular. Desde 2009, é a orquestra residente do curso de regência da MIMO, ministrado por Isaac Karabtchevsky.

ARTHUR VEROCAI

Participação especial: Clarisse Grova, Carlos Dafé e Projeto Coisa Fina

8 de setembro | 20h30 | Igreja da Sé (Olinda/PE)

Em 1972, o violonista lançou o primeiro álbum, depois de anos trabalhando com estrelas da MPB. Foi redescoberto por rappers americanos e se transformou em Cult ao ter “Caboclo” sampleado pelo grupo de hip hop Little Brother. Nesta nova fase da carreira tem feito seguidas apresentações no Brasil e no exterior. Seu som atemporal tem seduzido os músicos mais jovens, como Marcelo Jeneci e Kassin.

GOTAN PROJECT (França | Argentina)

8 de setembro | 22h | Praça do Carmo (Olinda/PE)

O grupo arrebatou o mundo com a força e a sensualidade da música argentina, misturando o tango tradicional à música eletrônica, fundando o gênero eletrotango. Pela primeira vez em Pernambuco, o trio formado pelo francês Philippe Cohen Solal, o argentino radicado em Paris, Eduardo Makaroff e o suíço Christoph Muller vem apresentar ao público da MIMO, o novo álbum “Tango 3.0”, que está em turnê há 18 meses pelos quatro continentes. O disco reitera a contemporaneidade do som do Gotan, misturando referências que vão do blues à cúmbia, passando pelos ritmos eletrônicos, o dub, o reggae e elementos da música folk americana, pinçadas da cultura pop.

PROJETO COISA FINA

9 de setembro | 18h | Mosteiro de São Bento (Olinda/PE)

Reunindo 13 jovens músicos de São Paulo, essa big band tem a habilidade de transformar a obra do pernambucano Moacir Santos, um dos pais da renovação harmônica da MPB, em uma experiência vibrante junto à nova geração. Criado em 1995, funde o jazz ao baião, ao maracatu e ao samba, provocando uma experiência única que reverbera na alma dos ouvintes.

DANIEL GORTLER (Israel)

9 de setembro | 18h30 | Capela Dourada (Recife/PE)

O pianista israelense já se apresentou nas principais salas de concertos do mundo, como o Lincoln Center e o Metropolitan Art Museum, em Nova York, e foi solista em concertos regidos por Zubin Mehta, Valery Gergiev e Michael Tilson Thomas. Merecem destaque em sua carreira as gravações do CD duplo, lançado em 2010, pelos 200 anos de nascimento de Schumann. Gortler vem ao Brasil exclusivamente para participar da MIMO.

SONORIS FÁBRICA

9 de setembro | 19h | Seminário de Olinda (Olinda/PE)

O grupo criado em 2002 pelos músicos pernambucanos Sergio Ferraz (violino elétrico) e Leonardo Melo (violão), exibe um repertório autoral inspirado na música brasileira de raiz popular, como o baião, o frevo e o maracatu, buscando também as influências do jazz e da música ibérica. Na MIMO, apresentam composições do terceiro álbum, “Sonoris Fábrica”.

ALEX TASSEL (França)

9 de setembro | 20h30 | Igreja da Sé (Olinda/PE)

10 de setembro | 20h | Igreja de São Frei Pedro Gonçalves (João Pessoa/PB)

O trompetista francês é considerado um dos mais brilhantes músicos de jazz de sua geração. Aos 36 anos, já realizou mais de uma centena de concertos e está habituado aos palcos internacionais. Foi reconhecido pela crítica como legítimo herdeiro de Miles Davis, por ocasião do lançamento do seu mais recente álbum duplo “Heads or tails”. Na MIMO, se apresentará com seu flugelhorn ao lado de quatro dos mais destacados instrumentistas franceses da atualidade.

ORQUESTRA DE CÂMARA DA CIDADE DE JOÃO PESSOA.

Carlos Anísio, regente.

10 de setembro | 11h | Igreja da Sé (Olinda/ PE)

Criada em 2001, está vinculada à Fundação Cultural de João Pessoa e já é reconhecida por sua importância na formação de uma nova geração de instrumentistas da região. É integrada por jovens de 16 aos 25 anos que vêm desenvolvendo um trabalho artístico de qualidade e de grandes desafios técnicos. Seus concertos buscam criar novos públicos para a música clássica na capital paraibana.

MIMO IN CONCERT

Encerramento das Oficinas de Formação de Orquestra da MIMO 2011

10 de setembro | 16h | Igreja de N. S. do Monte (Olinda/PE)

O concerto mostrará o resultado das Oficinas de Formação de Orquestra da Etapa Educativa. Para incentivar a prática de conjunto e de orquestra, além da ampliação de repertórios, a MIMO convidou uma equipe de músicos com ampla experiência didática e interpretativa para ministrar as quatro oficinas. Nayran Pessanha cuidará da oficina de cordas friccionadas, Antonio Augusto e João Luiz Areias, de metais. Elione Medeiros, de madeiras e Marco César, de cordas dedilhadas todas sob a coordenação didática da violinista Ana de Oliveira e do maestro e violonista Caio Cezar. Cada grupo mostrará ao público o resultado artístico de seu trabalho intensivo.

ORQUESTRA DE CÂMARA DE TOULOUSE (França)

10 de setembro | 18h30 | Basílica de Nossa Senhora do Carmo (Recife/PE)

Sob a direção do violinista suíço Gilles Colliard, é uma das mais tradicionais orquestras de câmara do mundo. Fundada em 1953, é reconhecida por executar qualquer tipo de obra para esta formação, indo do barroco às criações contemporâneas. Na MIMO, apresenta no repertório a Sinfonia n. 38 “Praga”, de Mozart, seguido pela “Sinfonia de Câmara op 110a”, de Shostakovich e a “Sinfonia Simples”, de Britten.

EGBERTO GISMONTI E ALEXANDRE GISMONTI

Participação Especial: Ana de Oliveira

10 de setembro | 19h | Seminário de Olinda (Olinda/PE)

Com mais de 60 álbuns gravados, dezenas de trilhas sonoras, Gismonti é considerado um dos mais inovadores músicos mundiais. O multiinstrumentista e compositor se apresenta ao lado do filho, o violonista Alexandre Gismonti, contando com a participação especial da violinista Ana de Oliveira. Em 2009, Egberto e Alexandre lançaram o álbum “Saudações” pela gravadora alemã ECM, ainda inédito no Brasil, parte deste trabalho que já excursionou por diversos países será mostrado na MIMO 2011.

PHILIP GLASS (EUA)

10 de setembro | 20h30 | Igreja da Sé (Olinda/PE)

Dono de uma sonoridade única, Philip Glass é um dos nomes mais influentes da composição do século XX. É autor de óperas, sinfonias, concertos para diversos instrumentos, temas para o teatro, a dança e consagradas trilhas sonoras para o cinema. No concerto intitulado “Uma Noite de Música de Câmara”, apresenta o jovem e aclamado violinista californiano Tim Fain – representante da nova geração de músicos eruditos americanos.

ORQUESTRA SINFÔNICA DE BARRA MANSA

Encerramento Curso de Regência.

Maestros Convidados, selecionados por Isaac Karabtchevsky

11 de setembro | 11h | Seminário de Olinda (Olinda/PE)

A maior referência em regência no Brasil, Isaac Karabtchevsky é responsável por selecionar entre os alunos do curso que ministra anualmente, os que estarão à frente deste concerto já tradicional na programação da MIMO. Os alunos enfrentam o desafio de conduzir a jovem e competente Orquestra Sinfônica de Barra Mansa, em obras como a Abertura da Ópera “Guilherme Tell”, de Rossini, Os Prelúdios, de Liszt e a Sinfonia n. 4, de Tchaikovsky.

ORQUESTRA SINFÔNICA

DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE

André Muniz, regente. Solista Diego Paixão, violoncelo

11 de setembro | 18h30 | Igreja da Madre de Deus (Recife/PE)

Formada por 75 alunos da Escola de Música da Universidade do Rio Grande do Norte, vem se afirmando como um dos principais ensembles orquestrais do Nordeste. A qualidade artística do grupo – que tem a regência e direção artística do maestro André Muniz – tem sido reconhecida pelas plateias de diferentes estados do Brasil. A orquestra volta a se apresentar na MIMO, depois do sucesso do concerto de 2010 em homenagem ao escritor Ariano Suassuna, desta vez com repertório formado por obras de Camargo Guarnieri, J. Hadyn e Dimitri Cervo.

PAGODE JAZZ SARDINHA’S CLUB

11 de setembro | 19h | Seminário de Olinda (Olinda/PE)

Formado em 1997 por renomados músicos cariocas, o grupo segue sem desvios seu rumo de integrar diversos gêneros musicais sob o guarda-chuva dos arranjos de qualidade. Assim, samba, jazz, choro, bossa-nova, até o funk dão o ar de sua graça em um clima descontraído, onde as interpretações não vestem o uniforme do formalismo. A escalação do PJSC segue à risca o manual do “futebol se joga é para ganhar”: Rodrigo Lessa (bandolim e bandarra), Roberto Marques (trombone), Bernardo Bosisio (violão e guitarra), Xande Figueiredo (bateria), Marcos Esguleba (percussão), Eduardo Neves (saxofone e flauta) e Edson Menezes (baixo). Eles acabam de lançar o CD “Cidade Mestiça” e avisam – o negócio é misturar.

HAMILTON DE HOLANDA E ANDRÉ MEHMARI

11 de setembro | 20h30 | Igreja da Sé (Olinda/PE)

A bem-sucedida dupla conquistou o Prêmio da Música Brasileira de 2011, na categoria “Melhor Álbum Instrumental”, com o CD “Gismontipascoal – a música de Egberto e Hermeto”. Piano e bandolim bastam para Holanda e Mehmari reinterpretarem, de forma minimalista e surpreendentemente colorida, as composições desses dois pilares da música brasileira.

PROGRAMAÇÃO OFICIAL DO FESTIVAL MIMO DE CINEMA 2011, EM OLINDA:

CONCERTO PARA HELOISA, 20min

de Pedro Moscalcoff

7 de setembro | 18h | Pátio do Seminário de Olinda

Gabriel é músico e ensaia em casa há mais de dez anos. Durante todo esse tempo, a vizinha Heloisa convive com o barulho que, aos poucos, se torna insuportável. Ele decide, então, solucionar o problema, fazendo um festival com as bandas que ensaiam na casa, a fim de arrecadar dinheiro para instalar o isolamento acústico. Dois produtores sérios são encarregados de todo o festival.

MAR DE LIA, 13min

de Hanna Godoy

7 de setembro | 18h | Pátio do Seminário de Olinda

Um mergulho encantado no universo da ciranda de Lia de Itamaracá. O amor se apresenta na música e na trajetória de vida dos personagens desse documentário musical.

FILHOS DE JOÃO, O ADMIRÁVEL MUNDO NOVO BAIANO, 76min

de Henrique Dantas

7 de setembro | 19h | Igreja da Sé

O documentário Filhos de João, O Admirável Mundo Novo Baiano conta a história do grupo Novos Baianos. O filme se concentra num dos períodos mais férteis da produção musical brasileira – final da década de 1960 – época em que o grupo eclodiu. Foi neste período que João Gilberto, recém-chegado dos Estados Unidos, começou a conviver com os Novos Baianos, tornando-se uma espécie de guru. Com extrema sensibilidade e absoluta despretensão, transformou a mentalidade daqueles jovens irreverentes e mudou o rumo da MPB.

O SILÊNCIO DO MUNDO, 10min

de Bárbara Cariry

8 de setembro | 18h | Pátio do Seminário de Olinda

A sinfonia do mundo percebida no “outro”, revelando novas formas de percepção e de comunicação entre os homens.

LUTHIER DO PVC, 15min

de Marcos Homem

8 de setembro | 18h | Pátio do Seminário de Olinda

Num distrito periférico duma periférica cidade do Brasil, um artista da terra utiliza materiais inusitados, para fazer música de qualidade. Gravado em Tamoios, distrito de Cabo Frio (RJ), conta a história de Johnny, um luthier de canos de PVC – adquiridos em obras de construção ou lixos da cidade – que, através de seu talento manual e aguçada percepção auditiva, planta sementes através dessa luteria inédita no país.

BOB LESTER, 13min

de Mariana Penedo e Hanna Godoy

8 de setembro | 18h | Pátio do Seminário de Olinda

Edgar de Almeida, o Bob Lester: sapateador, cantor, músico e showman. Numa mistura de gêneros e linguagens, o conto do artista esquecido que deseja ser lembrado. Quanto é memória ou quanto é invenção já não interessa, o importante é não esquecer.

SEX BEATLES MEMORABÍLIA, 72min

de Marcelo Martins

8 de setembro | 19h | Igreja da Sé

Documentário sobre a lendária banda carioca Sex Beatles. Conta a trajetória do grupo liderado por Alvin L. (autor de sucessos de Marina Lima, Leila Pinheiro e Capital Inicial), que na década de 90, conquistou o público e um elenco de admiradores. Entre eles, Dado Villa-Lobos (ex-Legião Urbana, co-fundador e produtor musical dos dois álbuns da banda), Renato Russo (que participou de uma das canções do primeiro disco, Automobília), Paula Toller e Marina Lima. Sex Beatles foi uma daquelas bandas que surgem, nos conquistam e somem.

PROFISSÃO: MÚSICO, 46min

de Daniel Vargas e Luciano Balen

9 de setembro | 18h | Pátio do Seminário de Olinda

No mundo pós-MP3, em que o download liquida as enferrujadas estruturas das grandes gravadoras, músicos conseguem levar a sua arte a lugares onde era impossível chegar. Produzido pelo Projeto CCOMA e o cineasta colombiano Daniel Vargas, o filme tem imagens do Brasil, Uruguai, Colômbia, Alemanha e Grécia. Reúne depoimentos de músicos de rua da França e Inglaterra, dos DJs Anderson Noise e Ravin e dos brasileiros Edgar Scandurra, Fernando Catatau, Naná Vasconcelos e Pedra Branca. O filme mostra como músicos, DJs e produtores conduzem sua profissão, que mudou muito com a internet.

DAQUELE INSTANTE EM DIANTE, 108min

de Rogério Velloso

9 de setembro | 19h | Igreja da Sé

O Nego Dito Itamar Assumpção em um documentário que percorre sua trajetória musical, desde os anos da vanguarda paulista na década de 1980 até a sua morte aos 53 anos. Com depoimentos daqueles que conviveram com o artista, o filme reúne uma seleção de imagens raras, garimpadas em acervos e arquivos particulares, mostrando sua presença antológica nos palcos e os momentos de intimidade entre os amigos e familiares.

É MUITA AREIA PRO MEU CAMINHÃOZINHO, 15min

de Ana Paula Guimarães e Eduvier Fuentes Fernández

10 de setembro | 18h | Pátio do Seminário de Olinda (Olinda/PE)

A obra recria a apaixonante região dos Lençóis Maranhense. Enfatiza os encantos, devaneios e desafios dos habitantes. No documentário, o primitivo, o nascimento e as paisagens atípicas criam um universo singular, nos levando a rever as relações cotidianas e nos remetendo aos próprios sonhos e esperanças.

À SUA IMAGEM E SEMELHANÇA, 18min

de Thiago Lira

10 de setembro | 18h | Pátio do Seminário de Olinda

Documentário musical que parte do conceito de “cover” para discutir a imagem e semelhança deste universo, a partir da perspectiva das próprias bandas. Para isso, conta com a participação da Beatles 4Ever (SP), primeira banda cover do Brasil, Seu Chico (PE), Del Rey (PE), entre outras.

CLEMENTINA DE JESUS: RAINHA QUELÉ, 56min

de Werinton Kermes

10 de setembro | 19h | Igreja da Sé

Clementina de Jesus: Rainha Quelé é uma obra composta coletivamente pelo direito à memória e perpetuação do patrimônio cultural brasileiro chamado Clementina de Jesus e pelo dever de exaltação à cultura negra. O filme teve sua locação no quilombo São José da Serra, em Valença (RJ), onde nasceu a cantora e traz depoimentos de Paulinho da Viola, João Bosco, Lecy Brandão, Carlinhos Vergueiro, Paula Lima, Martinho da Vila, Monica Salmaso, Fundo de Quintal, Cristina Buarque de Hollanda, entre outros.

ORQUESTRA DO SOM CEGO, 13min

de Lucas Gervilla

11 de setembro | 18h | Pátio do Seminário de Olinda

Dois sanfoneiros cegos, um filme mudo e um de-compositor musical.

VANJA, MULHER RENDEIRA, 20min

de Juliana Major

11 de setembro | 18h | Pátio do Seminário de Olinda

A partir de depoimentos pessoais e de personalidades como Hernani Heffner e o crítico de música popular brasileira Ricardo Cravo Albin, o documentário refaz a trajetória da artista Vanja Orico. Uma homenagem à eterna cangaceira e grande intérprete do sucesso Mulher Rendeira, o vídeo é uma contribuição para manter viva a sua memória.

CANÇÕES DO EXÍLIO: A LABAREDA QUE LAMBEU TUDO, 90min

de Geneton Moraes Neto

11 de setembro | 19h | Igreja da Sé

Canções do Exílio: a Labareda que Lambeu Tudo reúne depoimentos de Caetano Veloso, Gilberto Gil, Jorge Mautner e Jards Macalé sobre um período conturbado da vida brasileira: a onda de prisões que se seguiu à decretação do AI-5, em 1968. Presos em São Paulo e transferidos para o Rio, Caetano e Gil deixaram o Brasil e seguiram para o exílio em Londres. Os depoimentos revelam episódios desconhecidos do público, como o show que Gil, preso, fez para a tropa no quartel. Caetano descreve os diálogos com o cineasta Glauber Rocha sobre o papel dos militares na vida política brasileira.

Informações para a imprensa:

Assessoria BRASIL | EXTERIOR

MNiemeyer Assessoria de Comunicação www.mniemeyer.com.br

+ 55 21 2178-2101 | 2178-2112

Leandro Gomes leandro@mniemeyer.com.br | 21 9628-7718

Alex Teixeira alex@mniemeyer.com.br | 21 8122-5488

Andrea Pessôa: andrea@mniemeyer.com.br | 21 7883-5834

Assessoria PERNAMBUCO e MÍDIAS SOCIAIS

Aline Feitosa | Trago Boa Notícia

+ 55 81 8131.0721 | 7813.0999 | ID: 13*909196

tragoboanoticia@gmail.com

www.twitter.com/tragoboanoticia

Comments

Be the first to comment on this article

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Go to TOP