Mindlin era um intelectual que colecionava livros

“Morto aos 95 anos, em 28 de fevereiro, no Hospital Albert Einstein (SP), Mindlin é reconhecido pelo crítico literário Antonio Candido como um intelectual vinculado à paixão da leitura. Desse vício incontornável nasceria a maior biblioteca privada do Brasil. – Fala-se que José é um bibliófilo. Ele não era propriamente um bibliófilo. José era um intelectual que colecionava livros. É diferente – estabelece Antonio Candido, 91 anos, prefaciador de “Uma vida entre livros”, as memórias de Mindlin”.

aqui

ao topo