MINICONTO: Filha

Por Renan Augusto de Souza (Pinhais/PR)

Tenho acordado todos os dias de madrugada, não por falta de sono, mas para cuidar dela, meu anjo. Às vezes é para trocar sua fralda, às vezes ela acorda assustada chorando ou tenho que dar seus remédios na hora, mesmo ela não gostando muito, faz cara feia e isso às vezes me tira sorrisos, então eu fico ali até ela dormir.

Outro dia, por descuido meu, ela quase caiu da cama, mas agora tenho me policiado quanto a isso, sempre a deixo na cozinha comigo quando estou cozinhando, mas às vezes é difícil cuidar dela sozinha, para falar bem a verdade, quase não me cuido mais, para dar toda a atenção que ela precisa.

Dar banho nela, trocar sua roupa, lhe contar historias, nada disso é difícil, sabe, já estou acostumada, acho que a única coisa com a qual eu não consigo lidar é a frequente pergunta de “quem é você?” que ela sempre repete quando me encara por alguns minutos, e com os olhos sempre cheios de lágrimas eu digo “sou eu mãe, Melissa”.

———

* Conto classificado em 3º lugar no Concurso de Minicontos promovido pelo Grupo Casarão de Poesia

Acredito que música, literatura e esporte são ansiolíticos dos mais eficazes; que está na ralé, nos esquisitos e incompletos a faceta mais interessante da humanidade. [ Ver todos os artigos ]

Comments

There are 2 comments for this article
  1. Erivaldo 3 de Setembro de 2016 23:59

    a vida é um looping.

  2. Sheyla Azevedo 5 de Setembro de 2016 20:29

    muito massa! me identifiquei demais da conta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Go to TOP