Ministra da Cultura diz ter sido vítima de “turbulências forjadas”

Por Rodrigo Rötzsch

NA FSP

Ana de Hollanda evita comentar quem são os autores de críticas

A ministra da Cultura, Ana de Hollanda, afirmou ontem que a crise na pasta foi fruto de “turbulências forjadas”.

A ministra tem sido criticada por setores do PT e do governo, que a acusam de estar abandonando a política cultural da gestão Lula.

“Não estou mais preocupada com essa questão das turbulências que foram muito forjadas também”, disse.

“Agora, a imprensa já está compreendendo que houve uma turbulência meio provocada por motivos que não têm nada a ver com a questão cultural, e o importante é que a gente está trabalhando. O Ministério da Cultura está muito ativo”, completou.

Ela esteve ontem no Museu Histórico Nacional, no Rio, por conta da 9ª Semana Nacional de Museus.

Quando a Folha questionou a ministra sobre quem seriam os responsáveis por essas turbulências, seu assessor de imprensa encerrou a curta entrevista.

Antes disso, a ministra disse que a série de reuniões que têm mantido com diferentes setores do meio cultural não são uma busca de apoio para a sua permanência no cargo.

As críticas a ele se devem à discussão sobre direitos autorais, a suspensão de pagamento de convênios e à retirada do selo Creative Commons (licença para uso de conteúdo) do site da pasta.

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo