Mirante olhar

Fotografia: Kelly Fersan

I.

Olhar que não resvala

Penetra pupila

Mira na cara

Janela da alma

Não carece

Cortina

Muito menos trava

Cristalino em dia

Córnea afiada

Não feche os olhos

ABRA!

 

II.

Não há brilho mais intenso, do que o meu olhar, quando repousa no seu. Já percebeu?

Desequilibra, fica quente, depois soa frio, bate arrepio, calafrio, emociona ateu, dirá judeu!

Quando vejo estou vidrada, não falo, não penso, nem faço nada, somente querendo te ver.

Desejo que arde em vontade, qual será a verdade, que tem esse olhar a me esclarecer?!

Gosto dele cerrado, nem doce, nem salgado, é quase agatinhado, tipo desconfiado, mas passa o recado, e eu consigo entender, pois vejo claramente sua pupila me mirar e dizer: tá louco por você!

 

III.

Minha face enrugada,

Quer roçar na sua maqueada,

Minha barba cerrada,

Pede sua boca encarnada,

Minha mão calejada,

Quer pegar na sua hidratada,

Minha pupila relaxada

Quer mirar na sua dilatada,

Meus braços querem te envolver,

Vou fazer por merecer,

Tá na cara e no corpo que é você!

Artista de nascença, poetisa desde os oito anos de idade, Tabeliã Titular e Registradora Pública Oficial em exercício no Cartório Único de Passagem (RN). Peço licença poética e convido você a acompanhar nossos registros com memórias afetivas correlacionadas às imagens fotográficas de Kelly Fersan. [ Ver todos os artigos ]

Comments

Be the first to comment on this article

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Go to TOP