Mocinhas…

Por Ry

Oh! inexoráveis mocinhas
Um tanto certinhas
Um tanto banais

Ninguém sabe das tramas
Das garotinhas
Um tanto santinhas
Um tanto bobinhas
Mas espertinhas demais

E das ideias se sabe apenas
Das tramas pequenas (ou colossais?)
Dos sonhos do mar
Dos sonhos das noites

Das mil e uma noites
De Penélope ou Capitu
Da ideal à moça
dos olhares infindos…

Ah… Ninguém sabe da tramas!…
Se das moças, fazem siganas…
Sacanas, mundanas…
São coisas demais

Não sou capaz de desfazê-las
Oh antíteses antigas
Das moças de símbolos
De danças e novelos
(Ah! São menininhas demais!)

publicado em: http://bezerraguimaraes.blogspot.com/2010/05/mocinhas.html

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo