Moderação dos comentários

Não costumo dar explicações sobre o processo de moderação dos comentários. Não tenho um manual ou regras escritas que me pautem nisso. Quase quatro anos de blog me ensinaram alguma coisa nesse terreno muitas vezes minado.

Quando pressinto maldade ou baixaria deleto o coment sem nenhum remorso. É a tarefa mais chata que acho fazer aqui. Não curto. Mas, imprescindível. E libero ou não dependendo de alguns pré-requisitos que considero importantes. Acho que até já cometi injustiças, liberando o que não deveria liberar, mas jamais agi de má fé.

Este blog é como se fosse uma extensão da minha casa (como lembrou uma vez Carlão, referindo-se aos mal intencionados e covardes franco-atiradores anônimos). Portanto, é necessário respeito. Educação também. Para com o dono da casa/blog, que preza e pratica esses sentimentos e abre às portas para todos, e para com os convidados.

Refiro-me não apenas aos colaboradores/colunistas, mas a todos que participam de alguma forma do SP. Considero-os meus convidados, alguns, amigos de antigos carnavais, portanto ofendê-los é me ofender.

Aqui não é lugar para ataques pessoais ou resolver pendências e rixas. Muito menos desaguadouro para frustrações, mágoas e ressentimentos. Mesquinhos e invejosos também não são bem vindos. Que fundem seus próprios bílis, digo, blogs.

Não nos interessa nem a participação nem uma audiência tão sem classe e baixo astral. Zelamos e garantimos espaço para o debate, que pode ser duro, renhido, mas não admitimos a baixaria pela baixaria.

Estão avisados. (TC)

Comments

There are 5 comments for this article
  1. Ednar Andrade
    Ednar Andrade 15 de Outubro de 2010 23:07

    “Este blog é como se fosse uma extensão da minha casa” (Como disse Carlão).

    Assim como eu, também, o disse: – Para mim é como se fosse a sala da minha casa, onde, pelas manhãs, sento-me em frente ao PC e tomo meu café, enquanto me deleito com as novidades do dia, com as notícias aqui postadas, com a cultura que peculiar ao SP. E ontem mesmo, teclando com Marcos Cavalcante, afirmei que o SP é, para mim, a sala da minha casa, e reafirmei para o amigo, que o SP é a sala da nossa casa.

    E diante disso, digo que o respeito à liberdade é o maior bem que o homem pode ter. Isso, seja mais duro, mais severo, mais radical. Para entrar aqui, seja preciso ter o seu aval. Fora disso: – Fora! Desculpe-me, estou chateada.

    Concordo contigo Tácito e com certeza todos os colaboradores concordam quando dizes que:

    “Aqui não é lugar para ataques pessoais ou resolver pendências e rixas. Muito menos desaguadouro para frustrações, mágoas e ressentimentos. Mesquinhos e invejosos também não são bem vindos. Que fundem seus próprios bílis, digo, blogs”.

    O SP é de um critério indubitável. É certo que algumas vezes já li aqui coisas desagradáveis, como comentários maldosos ou, vez por outra, alguém que incita uma crítica invejosa. Dá para sentir a malícia de algumas pessoas na tentativa de tornar turbulenta a visível harmonia deste espaço.

    Portanto, parabéns pela tua sinceridade que também é um traço visível e peculiar teu.

    Abraço amigo.

  2. Danclads Andrade
    Danclads Lins de Andrade 15 de Outubro de 2010 23:29

    Tácito, meus parabéns. Concordo contigo em defender este espaço que me habituei a visitar e admirar, pelo grau de cultura que se encontra nele e competência daqueles que, direta ou indiretamente, contribuem para o seu engrandecimento. Aproveito para agradecer a minha adesão como inscrito no mesmo. Obrigado Tácito.

    Blogs como este, onde se difunde a cultura e a veracidade dos fatos sem maquiagem ou farsas, não pode ser lugar para quizilas, competições, questões bizantinas e afins. Debate é sempre necessário, pois estamos em uma democracia e, lembrando Voltaire, onde afirma: “Não concordo com uma palavra sequer que dizeis, mas lutarei até a morte pelo vosso direito de dizê-las”, ou seja, debate sim; discordância, faz parte; baixaria, nunca.

    Parabéns pelo blog, parabéns pela veracidade que o faz ser SP.

  3. João da Mata
    João da Mata 16 de Outubro de 2010 9:33

    Caros Amigos,

    Muito seensatos, como sempre.
    Assim como o Splural é um pouco a nossa casa, eu diriria mais. É, de minha parte, o meu coração lançado aos ventos e tempestades.
    Escrevenos aqui de peito aberto, com subscritos : nome , sobre-nome e foto.
    Muitos que aqui comentam são covardes. Escondem-se com pseudonimos e não possuem coragem de debater sem amarras.
    Para os medíocres só a força da agressão. Para os invejosos, um conselho: estude, estude, estude.

    No dia que minha presença aqui não for mais desejada, sairei deixando para outros a batucada. Mas, com a certeza, que dei o melhor de mim

  4. Ednar Andrade 16 de Outubro de 2010 10:11

    Da Mata, lindo, bom dia!!! Rs…

    Aproveitando, aqui, o gancho do teu comentário, para mandar ao mestre, que tu és, com carinho um beijo pela passagem do Dia do Professor. Mas, desculpo-me, justificando-me lembrando que todos os dias foram feitos para doar carinho e sinceridade, hoje continua sendo dia propício para te enviar um grande abraço.

    E, olha, para mim, tu és muito importante aqui nesta nossa casa. “Nossa”, falo sem hipocrisia e sem o temor de ser mal compreendida, pois é realmente com verdade e sinceridade que Tácito abre a porta quando o faz aqui.

    Então, a ti e a todos um fim de semana maravilhoso, repleto de paz e harmonia e o desejo profundo e sincero de que os novos ventos nos tragam esperanças e certezas, já que tudo está incerto, “no momento”.

    Beijos.

  5. Jarbas Martins 16 de Outubro de 2010 17:44

    Tácito, você tem dado prova, como jornalista, de ética.Minha irrestrita solidadriedade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Go to TOP