Monteiro no “Diálogos entre o cinema e a história”

Por André Dib
Diário de Pernambuco

As relações entre Cinema e História é o foco do curso Luz, Câmera e História: Diálogos entre a sétima arte e a História, que começa hoje no Centro de Filosofia e Ciências Humanas da UFPE. Até a próxima sexta-feira haverá uma série de filmes, palestras e debates promovidos pelo Diretório Acadêmico de História Francisco Julião. A programação tem início hoje, às 13h, com a exibição de Para não esquecer Angola (2006), de Marcelo Luna. O diretor estará na sessão e participa do debate História, Cinema e Revolução, com Walteir Silva (coordenador do Núcleo Brasil – África da UFPE), Ricardito Lemos (doutorando em sociologia de Guiné-Bissau) e coordenação do cientista político Michel Zaidan Filho.

Amanhã haverá duas outras mesas: Movimentos cinematográficos em Pernambuco, com Letícia Rameh e Ricardo Maia Jr., às 14h; e O Cinema e a politização da arte, com o crítico de cinema Alexandre Figueirôa, às 16h15. A tarde de quarta será reservada à exibição paralela de filmes seguidos de debate. A programação inclui Adeus, Lênin! (Good Bye, Lenin!, Alemanha 2003), com Michel Zaidan, Batismo de sangue (Brasil, 2007) com Maria do Socorro Abreu e Lima, Clube da luta (Fight Club, EUA, 1999), com Michel Gomes da Rocha, e Narradores de Javé (Brasil, 2003) com Isabel Cristina Martins Guillen, Ninotchka (Alemanha, 1939) com Suzana Cavani Rosas e Sexta-feira (Man Friday, EUA, 1957) com Ana Maria Barros dos Santos.

Na quinta-feira, às 14h, os professores Alberon de Lemos Gomes e Christine Rufino Dabat falam sobre cinema e ensino de história; às 16h15, o crítico e escritor Fernando Monteiro discorre sobre Cinema e Literatura. Encerrando o evento, na sexta-feira será exibido o filme Sommersby – O retorno de um estranho (EUA, 1993), de Jon Amiel, seguido da palestra A Montagem cinematográfica e a Narrativa histórica, com Michel Zaidan Filho. “Vou traçar paralelos entre a narrativa cinematográfica e o trabalho do historiador, que é uma forma de reinventar o passado”, diz Zaidan, que ofereceu sua consultoria para realização do evento e da escolha dos filmes, baseado na área de competência de cada professor.

A inscrição para o Luz, câmera e história custa R$ 5. O número de vagas é de 200 participantes. O credenciamento estará aberto de hoje até quarta-feira, entre 10h e 15h. Informações: 8870-3623.

ao topo