Morre Mestre Elpídio

“O mestre de Boi de Reis Elpídio Alexandre da Silva (foto: Lenilton Lima), de 82 anos, mais conhecido como “Mestre Elpídio”, morreu no início da tarde de ontem, vítima de parada cardíaca, em consequência de um tumor cerebral. Tido como o principal ícone desse tipo de manifestação popular no Rio Grande do Norte, o artista estava internado há pouco mais de um mês no Hospital Walfredo Gurgel.

No dia 5 de janeiro, Mestre Elpídio esteve na Policlínica, no Alecrim, e, após ser submetido a um exame relacionado ao câncer de próstata que enfrentava, teve uma convulsão. Foi, então, transferido para o Walfredo. “Tivemos que levá-lo em uma Kombi, porque não havia ambulância disponível”, reclamou o presidente da República das Artes, Lenilton Lima, que acompanhou de perto o trabalho e a saúde do folclorista.

O atestado de óbito registra que a morte aconteceu às 12h50 e divulga a causa como “parada cardio-respiratória devido à síndrome convulsiva em decorrência de um tumor cerebral”. Lenilton Lima informou que o velório deverá acontecer na própria residência do mestre, no bairro Santos Reis, em Parnamirim (Grande Natal). Casado pela 36ª vez, conforme comentava entre os conhecidos, Elpídio deixou 21 filhos.

Mestre Elpídio participava do ponto de cultura Boi Vivo, cujo objetivo consiste em restaurar o boi de reis. “Ele era o único remanescente da época dos palanques de Djalma Maranhão”, lembrou Lenilton. “E costumava reclamar, amargurado, que nunca existiu um prefeito como ele em Natal, em termos de valorização da cultura popular”, continuou”. DIÁRIO DE NATAL

Go to TOP