Morre o músico Manoca Barreto

Por Sergio Vilar

Ele era apontado como um dos maiores talentos da música do RN. O velório será realizado no Morada da Paz, a partir das 14h. O sepultamento será no mesmo local, às 18h.

aqui

Comentários

Há 3 comentários para esta postagem
  1. Dodoka(joao molick) 26 de novembro de 2013 6:45

    Oi, sou Dodoka, na decada de 90 levava meu filho NetoMiau pra aula de piano classico no instituto de musica Waldemar de Almeida e resolvi me inscrever tambem no curso de guitarra, não conhecia Manoca, mas na primeira aula já pintou uma amizade boa ao ponto dele mesmo fazer minha pre-matricula e avisar não esqueça dia tao confirme sua matricula, ele zelava por suas amizades, se preocupava, dava tudo de si por seus alunos, por isso quem teve contato com ele direto ou indireto jamais o esquecera. Era uma joia natural.

  2. Ednar Andrade 25 de novembro de 2013 16:17

    Não é possível enterrar a vida
    sepultamos apenas o que morre
    e até a morte em nós renasce.

    (Juliana Ribeiro Dantas)

    * A carne se vai,passa, a poesia a arte ,jamais.E isto é infinto e belo.

    (Ednar Andrade)

  3. damata 25 de novembro de 2013 16:01

    Choro a morte do amigo Manoca

    Manoca era um dos maiores músicos do nosso estado. Muito nos alegrou em noite e tardes memoráveis. A Música esta de luto. Ele foi fazer companhia a Noel e outros bambas.
    Um profissional competente. Professor de muitos. Ficamos mais tristes, seus amigos.
    Que Deus o receba.
    O sentimento do sopro que é a vida. O sentimento de como os homens a despreza. A tristeza.

    Canto a música “João e Maria” de Chico Buarque e Sivuca.

    Agora eu era o herói
    E o meu cavalo só falava inglês
    A noiva do cowboy
    Era você além das outras três
    Eu enfrentava os batalhões
    Os alemães e seus canhões
    Guardava o meu bodoque
    E ensaiava o rock para as matinês

    Agora eu era o rei
    Era o bedel e era também juiz
    E pela minha lei
    A gente era obrigado a ser feliz
    E você era a princesa que eu fiz coroar
    E era tão linda de se admirar
    Que andava nua pelo meu país

    Não, não fuja não
    Finja que agora eu era o seu brinquedo
    Eu era o seu pião
    O seu bicho preferido
    Vem, me dê a mão
    A gente agora já não tinha medo
    No tempo da maldade acho que a gente nem tinha nascido

    Agora era fatal
    Que o faz-de-conta terminasse assim
    Pra lá deste quintal
    Era uma noite que não tem mais fim
    Pois você sumiu no mundo sem me avisar
    E agora eu era um louco a perguntar
    O que é que a vida vai fazer de mim?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo