A Nação Zumbi volta a Natal para show histórico no MADA!

O que eu vi no Marco Zero em Recife uns cinco anos atrás foi realmente marcante. Não estavam ali uma banda aclamada pelo pernambucano sempre bairrista. Era algo maior; coisa parecida com uma ceita religiosa. Nunca na minha vidinha besta tinha visto um público tão ensandecido. E olha que antes da Nação Zumbi já tinham subido ao palco, naquele mesmo dia, Alceu Valença e a Orquestra Contemporânea de Olinda, outros dois queridinhos dos recifenses.

Tudo bem, Natal não é Recife e aqui a galera apenas não se dá muito mal (ou muito bem). Mas o som de uma tonelada da Nação Zumbi promete dar o peso extra à edição 2015 do Festival Mada — Música Alimento da Alma. A banda se apresenta no segundo dia do evento, dia 31 de outubro (sábado), no gramado da Arena das Dunas, em Natown, aqui pertinho da Lamatown.

O show será ainda mais especial por marcar o retorno dos ‘mangueboys’ pernambucanos ao festival. E lá se vão sete anos desde que Jorge Du Peixe, Lúcio Maia, Pupillo, Toca Ogan, Gustavo da Lua, Tom Rocha e Gilmar Bola 8 se apresentaram no palco do Música Alimento da Alma, numa noite histórica tendo a presença de Otto nos vocais e uma participação da cantora Pitty. Essa é a terceira participação do grupo no festival.

Neste segundo semestre, a Nação Zumbi vem de uma temporada de grandes apresentações. Em agosto, a banda esteve em Nova York, para um show comemorativo dos 20 anos do manguebeat, no Festival SummerStage, no Central Park, repetindo a viagem aos EUA de duas décadas atrás, ainda com a presença do saudoso Chico Science (1966 – 1997) nos vocais. Em setembro, a banda fez uma participação no Rock in Rio dividindo o palco com o também pernambucano Lenine.

A Nação segue na divulgação do elogiado disco Nação Zumbi (2014), produzido por Alexandre Kassin e Berna Ceppas, que reúne sucessos como “Cicatriz”, “Um Sonho”, “Foi Amor”, “Defeito Perfeito”, “Novas Auroras”, “Pegando fogo” — música que relembra o líder Chico Science. O show também trará no set list os sucessos de álbuns anteriores.

Nação Zumbi foi responsável por recolocar Pernambuco no mapa da música brasileira nos anos 1990, quando deflagrou o movimento Manguebeat, que mesclava as sonoridades de raízes pernambucanas, com a percussão dos tambores do maracatu, às guitarras do rock. E se mantém até hoje, uma das bandas mais influentes e respeitadas na música brasileira e no exterior.

Da Lama ao Caos foi o primeiro registro sonoro desses “caranguejos com cérebro”. Lançado em abril de 1994, o trabalho foi um marco na construção desse movimento que saltou de Recife para o mundo. A banda tem mais de dez disco lançados, entre os quais Afrociberdelia, CSNZ, Rádio S.Amb.A., Futura, Fome de Tudo e Ao vivo no Recife.

Foto: Priscilla Buhr

Jornalista por opção, Pai apaixonado. Adora macarrão com paçoca. Faz um molho de tomate supimpa. No boteco, na praia ou numa casinha de sapê, um Belchior, um McCartney e um reggaezin vão bem. Capricorniano com ascendência no cuscuz. Mergulha de cabeça, mas só depois de conhecer a fundura do lago. [ Ver todos os artigos ]

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três × 5 =

ao topo