Nada foge ao olhar e à sensibilidade do poeta Oreny Júnior

O poeta Oreny Júnior e a esposa Lucimar

Por Tácito Costa

Sexta-feira, 29 de abril, à partir das 19 horas, no Bardallos (R. Gonçalves Ledo, 678, – Cid. Alta) o poeta Oreny Júnior lançará “Fórceps”, o seu primeiro livro de poemas. Oreny é um dos mais fiéis colaboradores do Substantivo Plural e tornou-se meu amigo. Pediu-me e escrevi algumas linhas sobre o seu livro. Segue abaixo.

**********

A melhor coisa que o Substantivo Plural fez por mim foi ampliar o número de amigos que, como eu, ama a literatura. É pouco provável que eu tivesse conhecido alguns escritores, que não fazem parte do establishment literário potiguar, se não fosse o blog.

Entre eles, figura o poeta Oreny Júnior, que estreia agora em livro impresso. Isso porque a poesia de Oreny há tempos circula online entre nós que acompanhamos o Substantivo, espaço que para alguns representa também um laboratório literário.

A seção de poesia nasceu com o blog. E acredito que seja um dos poucos veículos culturais online do país, que mantém um espaço dedicado à poesia. Nesses nove anos de existência publicamos centenas de poemas. Jamais deixamos de publicar um poema que nos tenha sido remetido.

Ao longo desse tempo ouvimos vozes críticas e defensoras, no limite, à extinção da seção. Mas resistimos. A reclamação é de que não existe critério na publicação. É fato. Desde o início deixamos claro que cabe ao leitor – e não aos editores – o juízo crítico sobre o que é publicado. A pluralidade está no DNA do Substantivo. Então, não poderia ser diferente.

Apesar de não me considerar, com toda sinceridade, apto a escrever sobre poesia, acatei o pedido de Oreny, em nome da nossa amizade, para escrever algumas palavras sobre este seu primeiro livro, “Fórceps”. Sinto-me mais à vontade, tenho menos dificuldades, quando comento prosa de ficção, seja conto ou romance.

Embora comporte momentos de experimentação linguística, o que se espera de todo escritor, a poesia de Oreny não oferece dificuldade de apreensão ao leitor, que tem em “Fórceps” um vasto painel poético, com temas que vão do prosaico encontrado no dia a dia às questões filosóficas, sociais e humanas, do rural ao urbano.

Nada foge ao olhar e à sensibilidade desse que já nasceu poeta:

“ meu primeiro verso
foi o berro nascedouro
foi o verso angustiado e saudosista
das trompas uterinas
de uma vaca geradora
foi o berro de protesto”

Comments

There are 2 comments for this article
  1. ORENY PIRES DE SOUZA JÚNIOR 22 de Abril de 2016 17:27

    Quanta gentileza, meu amigo!
    Muito obrigado pelo texto, pela solidariedade ao trabalho do artista Potiguar. Sinto-me em casa, ao lado de grandes figuras do SP. Estão todos convidados para o lançamento deste que é o meu primeiro trabalho impresso, Fórceps. Um grande abraço a todos!

  2. Anchieta Rolim 25 de Abril de 2016 20:31

    Massa!!! O livro, eu já li e está ótimo. Oreni Júnior é realmente um grande poeta. vamos lá…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Go to TOP