Nada

pena

Qual estalactite
A pena pinga
À espera
Da Palavra.
Tento romper
O silêncio
Imobilizador
A torturar
A criatividade.
A litania da pena
Infértil a projetar
Manchas disformes
Nada dizem.
Todo inventário
De sensações,
Não partilhados,
Não legados,
Inoculados no nada.

Comments

Be the first to comment on this article

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Go to TOP