NÃO LUGAR

porque não há merece
farpas acontecimento
reinventar o mundo
partir

cada palavra rocha
muro pedrada anel
paralelepípedo ar
ar pão

edificar sementes
o cimento solidário
beijo em todas as bocas
sonhar

Nasci em Natal (1950). Vivo em São Paulo desde 1970. Estudei História e Artes Visuais. Escrevo sobre História (Imprensa, Artes Visuais, Cinema Literatura, Ensino). Traduzo poemas e letras de canções (do inglês e do francês). Publiquei lvros pelas editoras Brasiliense, Marco Zero, Papirus, Paz e Terra, Perspectiva, EDUFRN e EDUFRJ. Canto música popular. Nado e malho [ Ver todos os artigos ]

Comments

There are 2 comments for this article
  1. Jarbas Martins 12 de Maio de 2011 22:33

    isto é a poesia, meu poeta Marcos: livre, solta, a nada subordinada, paratática.

  2. Marcos Silva
    Marcos Silva 13 de Maio de 2011 9:12

    Jarbas:

    Abração, obrigado pela força.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Go to TOP