“Não se trata de um conflito entre ricos e pobres”

Sociólogo Ignacio Cano adverte contra a dramatização e a vitimização excessiva do crime conhecido como “arrastão” no Rio. Ele considera preconceituosa a abordagem policial de adolescentes pobres em ônibus.

Aqui

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um + cinco =

ao topo